quinta-feira, 14 de agosto de 2014

A Unificação de Chamas Gêmeas ou Complementos Divinos


                Sua contraparte complementar está em algum lugar e você só a encontrará quando estiver calmo e manso de coração. Muitos desejam re-estabelecer-se por completo a fim de avançarem em espiritualidade, crescendo em todas as qualidades que só se fazem perceber naqueles que já diluíram tudo o que os comprometia perante as Leis de Perfeição que desenham aos mundos que estão acima dos seus, mais qualificados e muito mais coerentes com o que se pode esperar de qualquer transição para melhor. São inúmeras as almas que já sentem o impulso de se voltar para o que, partindo das Esferas Ascensionadas lhes atingem às percepções, porém, ainda são restritas aquelas que de fato têm merecimento para reaverem seus estados mais plenos de saúde espiritual.
                Sua contraparte complementar está onde ela deve estar, e muitos são os que questionam quando haverão de encontra-la, mas poucos são os que entendem o que ela representa nas suas vidas. Gostaria de poder esclarecê-los melhor sobre isso, mas acredito que ainda faltem os elementos sutis que se fazem indispensáveis para que realizem o significado deste conceito, que é bastante prático e relevante para que possam se aperfeiçoar. Todos os seres que se ocupam, em corpos humanos, nas esferas da vida material estão constante e ininterruptamente estabelecendo interações e co-criando relações. Muitas de tais relações se intensificam ao longo de intervalos bastante significativos dentro de suas histórias espirituais, de modo que elas continuam existindo com parte de suas realidades existenciais.
                Algumas de tais relações, no entanto, se desenvolveram de acordo com as circunstâncias que precisaram experimentar, segundo as necessidades recíprocas que juntos traçaram. Outras, porém, são muito mais essenciais, porque lhes compõem à alma, como parte de vocês mesmos e do que suas histórias representam para as cadeias de mundo em que estão. Quando foram preparados para assumir alguma peculiaridade da Grande Obra, com a qual, mesmo sem perceberem, porque lhes pertence espontaneamente, estão se ocupando, uma parte de vocês se fez completa como constituinte da parte de outro alguém. Desta forma, contrapartes complementares se fizeram, de modo a comporem juntas à uma parcela do que agora se lhes apresenta como a realidade que lhes orienta, exatamente porque se compõem das orientações que lhes são fornecidas a partir da Totalidade à qual se encontram obrigatoriamente atrelados.
                Muitos chamam as contrapartes complementares de Almas ou Chamas Gêmeas, mas penso que o termo mais condizente com o significado prático destes dois aspectos da realidade que se contém e se complementam seja o que se convencionou chamar Complementos Divinos. São eles dois seres que juntos têm um traçado da existência a desenhar e, por esse motivo, suas vidas espirituais são plenamente interativas. O que um faz tem reflexo sobre o que o outro sentirá, mesmo que entre ambos ainda não haja reconhecimento de seu estado complementar. A história de um terá obrigatoriamente influência sobre a história do outro, pois ambos estarão se co-criando e ao que precisam realizar. Desta forma, entre tais contrapartes complementares costuma ter muita intimidade e profundo amor, de modo que elas nunca desejarão se separar, e mesmo que alguma delas se distancie da outra, tal distanciamento é apenas aparente, porque os campos existenciais de ambas formam uma unidade tanto estrutural quanto funcional, e esta unidade as conduz sempre para perto uma da outra, em qualquer momento que isso se faça necessário.
                Acontece que entre as pessoas que ainda cultivam às teias cármicas, típicas da vida nos mundos materiais, esta realidade das Chamas Gêmeas complementares ainda é pouco compreendida, mesmo porque as contrapartes em geral estão por demais desorientadas e não conseguem se reaproximar. Eventualmente elas até mesmo se encontram em uma ou mais vidas, enquanto ainda estão condicionadas às leis da existência material, porém, nem sempre estão em condições de se reconhecer. Podem inclusive sentir-se impulsionadas a se aproximarem mutuamente, percebendo haver alto grau de afinidade entre elas, mas, as teias cármicas podem ser ainda muito acentuadas para que seus campos vibratórios unificados se façam.
                Deverá chegar o momento, no entanto, em que elas já se encontrem preparadas para que haja o re-encontro e ele será duradouro, porque lhes pertence eternamente. Em alguns casos, isso só acontece após a mais completa depuração ou ao menos após a aquisição de um quociente elevado de perfeição de ambas as contrapartes. Porém, pode acontecer de uma delas, que está em estado mais avançado da consciência, reconheça a outra, a qual ainda não se elevou o suficiente para que haja a integração complementar que as faz unificadas. Nestes casos, a que está em condições de prestar assistência à outra, assim o fará, até o ponto em que ambas possam se identificar mutuamente como notas ou frequências que se completam na Grande Sinfonia da existência. Quando isso acontece, a experiência de existir de ambas as contrapartes se faz mais precisa e muito mais esclarecedora.
                Elas não se perderão mais de vista e, mesmo em momentos em que cada qual esteja ocupada com suas próprias articulações, espontaneamente a unificação dos dois campos magnéticos, formando um único campo, as manterá em íntima associação. Quanto maior for a Sabedoria angariada por uma delas, maior será a Sabedoria que a outra também obterá, pois, na verdade, tudo o que elas estiverem fazendo estará sendo feito em uníssono de intenções por ambas. Nenhum tipo de cobrança imperfeita se fará notar entre as duas contrapartes, e somente amor e perdão (quando se faça necessário perdoar, o que em geral não é o caso em se tratando de almas ascensionadas) se manifestarão continua e permanentemente entre estes Complementos Divinos. Elas avançarão ainda mais na Consciência Superior na medida em que juntas se estabeleçam em sintonia com o que as faz estar conscientes de quem são na abrangência que as contém dentro da Obra Maior que a tudo faz existir e que a tudo sustenta, inclusive a ambas e às suas co-criativas realidades.
                Espero que estejam avançando nas suas incursões em direção à Superior Razão, de modo que haverão de adquirir aos poucos o direito de re-encontrarem-se a si mesmos, dentro da Lógica Maior que os faz existir. Quando se encontrarem, realizarão o que lhes faz perceberem-se como Seres de Luz que estão voltando para a Fonte que lhes originou. Tal redescoberta se fará presença em um oportuno momento para suas compreensões, a partir do qual tenderão a alargar ainda mais seus horizontes, adquirindo crescente volume de Conhecimento e aprendendo a praticar aquilo que conhecerem. Daí sim estarão se tornando propensos a re-estabelecerem seus laços espirituais mais profundos e sagrados, como os que os atrelam às suas contrapartes complementares. Irão se refazer quando for chegado o momento deste re-encontro, e eu sinceramente rogo a Deus, o Supremo Senhor, que ele esteja próximo para muitos dentre os seres que agora habitam a esfera terrena, pois isso aumentará à Luz que, por sua vez, se fará mais disponível para iluminar outros a também se re-encontrarem, estabilizando a vida deste princípio da Nova Era, quando muitas Chamas Gêmeas se reunificarão.

                                               Saint Germain (11/07/2013)



Conteúdo obtido por sintonização através de Valéria Moraes Ornellas, Sacerdotisa da Ordem de Zadkiel e co-fundadora da Editora Sétimo Raio, Rio de Janeiro – RJ, e originalmente publicado em http://missaodesaintgermain.blogspot.com.br. Se desejar divulgar este texto, favor citar devidamente a autoria e a fonte original da publicação.