domingo, 30 de junho de 2013

O KA – O BA


      
Segundo as Crenças vigentes entre os Antigos Egípcios, o Homem era constituído por 9 Partes ou Conceitos, Níveis de Formação presentes desde o seu nascimento e que permaneciam mesmo após sua morte.
        
Entre esses Conceitos, podemos ressaltar o “KA” e o “BA”.
KA – Era o Duplo – a Energia Vital e, tal como em vida, necessitava ter suas necessidades plenamente satisfeitas pela Energia das Oferendas, como frutas, pães, aves e vinho.
Seus Sacerdotes encarregavam-se desses procedimentos, havendo rituais nos quais essas Cerimônias eram realizadas.
       
O KA necessitava de um Suporte Energético e, consequentemente, teria melhor resultado se encontrasse a conservação do corpo, o que era realizada pela mumificação.  
Muitas vezes, esses objetivos eram conseguidos também com a colocação de estátuas do morto, colocadas em capelas próprias – o SERDAB.
           
BA – Era a Alma ou um Conceito dinâmico, que poderia deslocar-se, representado como um pássaro com cabeça humana.
Essa entidade poderia visitar a tumba, deslocando-se através da “porta falsa”.
       
Consideravam-na como um repositório das qualidades do morto – sua Alma – sua Essência Divina.
Em conseqüência, era o BA que respondia ao chamado dos sacerdotes, durante os cultos divinos e funerários.
                                  
O Ser Vivo possuía um Corpo Material – DJET.

         
Quando os diversos elementos constituintes se dissociavam pela morte, o Corpo mumificado era chamado KHAT.
Em resumo, para que todos esses elementos pudessem existir, era mais viável encontrar a Perfeita Conservação do Corpo, sua boa aparência, digna de ser reconhecida pelo KA e pelo BA, revitalizada nos rituais de abertura dos olhos e da boca.
O KA, ou o Duplo, sendo estático, ficava próximo às estátuas do morto, que se identificava à múmia, e recebia a Energia das Oferendas.
        
O BA, conceito Dinâmico, poderia tomar as formas que desejasse, diferenciando-se nas transformações – KHEPERU – e nas imagens – IRU.

OS 9 NÍVEIS DA PERSONALIDADE:
     
1. DJET (em Vida) – Corpo Físico – transitório – perecível que passava a chamar-se KHAT após a morte.
    
2. BA – a Alma – Dinâmica – que se deslocava entre os mundos dos vivos e dos mortos.
Ela passava através da porta falsa como um pássaro com a cabeça humana.
     
3. KA – Duplo – estático– Energia Vital que se materializava nas estátuas, objetos de culto e em animais sagrados.

Corresponde ao Duplo-Etérico das filosofias Esotéricas.

4. REN – o nome – a Identidade.
5. AKH – ou AKHU – Espírito de Luz – Divinizado.
6. AB – ou IB – Coração, Consciência, que era pesado no prato da balança durante o Julgamento da Alma no tribunal de Osíris – HATTI – era o Coração Material.

7. SEKHEM – o Poder – a Força – que comanda.

8. SAHU – o Corpo Luminoso e Transparente – a Essência Sublime do Ser – fase Celestial.

9. KHAIBIT – ou SHUTI – a Umbra ou Sombra.
             
Hermetismo
Amarilis Amaral Torres Sanches