sábado, 2 de março de 2013

O QUE SIGNIFICA A RENUNCIA DO PAPA O PESO DA CRUZ DO CRISTO, E O QUE SIGNIFICA PARA A HUMANIDADE

A igreja foi criada no inicio da era de peixes, assim essa renuncia do Papa, marca sua queda.
O acontecimento marcante dessa semana tem uma sincronicidade pisciana muito forte: estou falando da renúncia do Papa. Podemos -ou não-, ser católicos e cristãos, mas o fato é que os noticiários não param de mostrar a imagem de Bento XVI em sua despedida do pontificado. Fato inusitado essa renúncia, surpreendente, ao mesmo tempo em que marca um divisor de águas para a religião católica. Bem no estilo da Profecia Maia, não acham? Afinal, não seria esse anunciado 'fim do mundo' simplesmente o fim da Era de Peixes e o início esplendoroso da Era de Aquário? Surgiria um novo Sol a iluminar as trevas da atual humanidade?

O Catolicismo surgiu no início da Era de Peixes. O Novo Messias, o Cristo, estaria ajudando a humanidade nessa transição?

O stellium que acontece essa semana no signo de Peixes inclui os planetas Vênus, Netuno, Marte e Mercúrio além do nosso Astro Rei, o Sol. Essa aglomeração só podia ser um sinal do céu. Lembre-se que não existe coincidência no céu e a Astrologia prova isso. Tudo está escrito, e o astrólogo lê nas estrelas. Em Astrologia, Peixes é considerado o signo da espiritualidade, mas também do sofrimento, da clausura, do exílio, dos pobres e dos excluídos, e também de todos aqueles que de uma forma ou de outra fogem aos padrões, rompendo os grilhões da sociedade estabelecida. Os artistas e os gênios se incluem nesta categoria...

Quando acontecimentos extraordinários como este (claramente relacionados com a maior religião do mundo ocidental) acontecem, precisamos nos perguntar qual o recado Dele, ou deles (os Deuses)... Os cabalista dizem que Ele escreve no céu através das estrelas. E os fatos extraordinários, místicos e religiosos que Ele escreve neste momento, que recado 'pisciano' nos dão? Vejam o que diz o Cristo nas Cartas (que podem ser encontradas e lidas no STUM):

"Antes que comecem a estudar, meditar e absorver estas páginas, quero primeiramente deixar claro a todos aqueles que lerem essas cartas, que meu propósito com elas é, antes de tudo, dissipar os mitos com os quais a minha personalidade humana e meus ensinamentos foram envolvidos. É minha intenção que o dogma e as doutrinas religiosas finalmente morram de morte natural em todo o mundo, do mesmo modo que desapareceram os sacrifícios de animais no Templo de Salomão".

Portanto, caros leitores e leitoras, estamos assistindo à morte natural da Igreja Católica, de seus dogmas e suas doutrinas. Será uma morte suave, bem pisciana, a meu ver. O 'sacrifício de animais' para os Deuses eram comuns na época em que Jesus viveu na Terra, e isso era também algo muito 'pisciano'. E ele próprio, o Cristo, não foi sacrificado na cruz?

Mais adiante, Ele continua: "Em segundo lugar, vim também para ajudar as igrejas a deixarem as noções arcaicas de "Deus" e de "pecado". Nenhum verdadeiro progresso espiritual é possível até o surgimento de uma clara compreensão de que cada pessoa é responsável pela maneira como se desenvolve a sua vida".
Esta frase salienta de maneira clara o fato de sermos responsáveis por nossas escolhas e, portanto, por nossa vida. Se a palavra 'destino' quer dizer meta, alcançar essa meta depende de nós, somente de nós mesmos. Nossa evolução espiritual, portanto, também depende de nós.

Então, porque não assumimos plenamente nosso destino em nossas mãos? Por pura ignorância. Porque vagamos ao longo do caminho da vida envoltos na neblina, que é como uma fumaça que nos impede de enxergar nossa meta, nosso destino final. Somos responsáveis, portanto, mas não somos 'culpados'. Em nenhum momento Ele, o Cristo, nos culpa por nossos erros, por nossas escolhas equivocadas.
No parágrafo seguinte, Cristo explica: "Em terceiro lugar, vim para retirar de sua mente as imagens de um 'Deus Onipotente' de magnificência, grandeza e poder ilimitado, que recompensa os virtuosos e castiga os "malvados". Estas crenças, ainda que reconfortantes, são totalmente errôneas".

Então, eu pergunto, quem de nós nunca teve vontade de apontar o dedo para o erro alheio, dizendo: "Deus vai te castigar"!? Não, caro leitor e leitora, Ele não irá castigar ninguém, pois ele é Pai, e Pai perdoa, ensina, repreende, mas perdoa. Ele não é vingativo. Essa figura do 'Deus que castiga' é uma alegoria humana. Ele não está fora de nós, nós estamos dentro Dele.

Como pisciana, conheço bem aquele sentimento de culpa que produz uma enorme tristeza no coração! Os piscianos, verdadeira e profundamente piscianos, sentem-se responsáveis pelo sofrimento alheio como se carregassem a própria 'cruz do Cristo'. Mas esse sacrifício representado pela cruz precisa acabar. Como está acabando essa Igreja que nos ensinou a noção de culpa, pecado e castigo, impedindo-nos de alcançar a plenitude, a felicidade, à prosperidade. Porém, nossa fé não acabará com ela, como não acabará a responsabilidade por nossa evolução espiritual, pois o bem e o mal continuarão a lutar até o final dos tempos e nós precisaremos escolher a cada encruzilhada, para que lado ir. A Era de Aquário que ilumina o horizonte da humanidade, ensina-nos a Fraternidade, a Igualdade, a Tolerância e o Amor Universal.

Não tenham medo, caros amigos, pois o Bem irá prevalecer porque Deus é amor, amor, amor! O amor é a 'cola' que une os seres humanos num único ser. É o poder magnético que nos Une num único ser. A nossa espiritualidade será alimentada pelo autoconhecimento indicado no movimento das estrelas que Deus colocou sobre nossas cabeças. Nossa responsabilidade consiste simplesmente em fazer nossas escolhas de maneira consciente. A astrologia, através de suas inúmeras disciplinas pode lhe fornecer esse conhecimento. Portanto, caro leitor, não percorra às cegas o caminho da vida. Conheça a si mesmo e liberte-se!