domingo, 24 de fevereiro de 2013

Momento de aguardar... Por Teresa Cristina Pascotto.

Momento de aguardar...

por Teresa Cristina Pascotto 


Aguardar não é sinônimo de "não fazer".
Aguardar, com consciência, é "fazer acontecer" vibracionalmente, em níveis elevados de consciência, para poder manifestar no momento em que tudo estiver verdadeiramente pronto para receber a manifestação.


Estamos vivendo um momento de aparente indefinição.
Não sabemos exatamente o que queremos, mas sentimos fortemente que queremos "algo" que é muito diferente e está muito além de tudo o que já vivemos, mas não temos a mínima consciência do que exatamente é esse "algo".
Vivemos um misto de sensações e sentimentos, temos uma sensação de estagnação que nos incomoda em alguns momentos e em outros momentos essa mesma sensação nos dá a certeza de que apenas estamos aguardando...


Apesar de não sabermos o que estamos aguardando, nosso coração nos diz que está tudo certo com este aparente momento de esvaziamento, espera, falta de objetivos ou falta de certeza diante dos objetivos.
Apesar de sentirmos que está tudo certo, mesmo com o desconforto que isso nos traz, a mente está sempre nos cobrando entendimento, racionalizando:
Mas afinal, o que estamos esperando?
Não aguento a angústia de não fazer, não saber, não querer!
Eu quero respostas, não aceito, não me conformo em não ter poder sobre o que está acontecendo neste momento!
Não suporto o desespero de sentir que preciso fazer algo, sem saber o que é esse algo, eu quero saber, eu quero fazer!


Poderíamos apenas aguardar, respirar e observar o que está acontecendo dentro (e fora) de nós, mas a mente nos atropela e nos coloca novamente na ansiedade, no desespero, na necessidade de saber, de racionalizar uma experiência que é impossível de ser compreendida pela mente.
Nesse contexto, perdemos o equilíbrio em que havíamos chegado e começamos novamente a questionar a vida, a duvidar de tudo em que estávamos começando a acreditar, começamos a pensar em desistir de tudo novamente, ficamos apáticos, desanimados, desestimulados e desesperançosos.


Se conseguirmos compreender que depois de termos trilhado, por um longo período, nosso caminho de buscas, autoconhecimento, entendimento de nossa realidade interna, compreensão da condição humana em que vivemos - período este de muito sofrimento, dúvidas, medos e incertezas -, é inevitável que estejamos nos sentindo "estagnados", pois precisamos de um tempo para tomar fôlego, precisamos parar para que toda a energia "negativa" (dos conteúdos que trabalhamos) que estávamos carregando, comece a se liberar, para que possamos nos renovar e nos libertarmos.


Mas é aqui que as coisas se complicam, pois o ego não quer saber de liberdade que dá poder à alma, e se esse processo de retirar de sobre nossos olhos os véus da ignorância que o ego nos colocou e de liberar a carga energética dos nossos antigos padrões negativos de comportamento, num ato de desapego real, nos colocará mais leves e livres das garras do ego, levando-nos enxergar com o coração e nos colocando em posse de nossa coragem, obviamente o ego fará de tudo para nos frear.
Assim, apesar da força da nossa intuição que nos diz que está tudo certo, que não temos que "fazer algo" neste momento e que aguardar, com auto-observação, é mais do que "fazer", acabamos sendo dominados pelos impulsos do ego e começamos a entrar no processo de desequilíbrio.


É momento de aguardar.
Momento de respirar, meditar, desejando entrar no nível da alma para podermos sentir os seus impulsos e anseios.
Nunca nos ensinaram a fazer isto, é algo que teremos que aprender a "fazer". Estar conscientes de tudo o que está acontecendo dentro de nós, sem tentarmos modificar nada, ao mesmo tempo em que aceitamos e desejamos que nossa alma nos guie aos próximos passos, aguardando, pacientemente e apenas seguindo os impulsos sutis e poderosos que a alma emana, é algo totalmente novo para nós e, por isso, parece um caminho vago ou... "louco".


Fomos criados para sermos "máquinas de fazer", aguardar é algo totalmente contrário a tudo o que vivemos até hoje.
Mas este é o caminho: aceitar, aguardar, observar e estar atento às oportunidades que a vida trará.
Não adianta esperarmos por fórmulas mágicas e poderosas que irão nos tirar do lugar comum e nos arrebatar a um novo lugar.
Existem sim, energias cósmicas que estão nos ajudando a nos movimentarmos em uma direção totalmente nova, mas não podemos simplesmente nos abandonar a esses impulsos cósmicos, pois temos que estar com as rédeas de nossa vida/energia em nossas mãos, em nosso poder pessoal, com auto-responsabilidade, senão, seria como um furacão que simplesmente passa e nos arrebata.


Os impulsos cósmicos e divinos que estão nos auxiliando e nos conduzindo a um novo momento de vida, só poderão nos ajudar se estivermos firmes em nossos propósitos, conscientemente responsáveis por nossa vida, não com o velho controle do ego, mas sim, com a força e sabedoria de nossa alma.
E isto é muito simples de se conseguir realizar, basta apenas que tenhamos esta consciência e desejemos estar alinhados com a nossa alma, que desejemos seguir os impulsos, anseios e propósitos de nossa alma.
A intenção tem poder e quando a intenção é consciente e responsável, seu poder se intensifica.
Assim, todos os impulsos divinos que estiverem à nossa disposição, serão os apoios que precisaremos para seguirmos firmes na "carruagem da alma".


Mas para onde estes impulsos divinos, associados aos impulsos da alma, nos levará?
E o que devo fazer para estar entregue e aberto a esses impulsos?
Se fizermos essas perguntas, buscando resposta racional, com certeza será o ego que estará no controle e não teremos a resposta.
Mas se fizermos as perguntas apenas com o desejo de que a resposta venha na linguagem da alma, saberemos o que fazer em cada momento de nossa vida, não conseguiremos "enxergar" nenhum caminho à nossa frente, mas sentiremos um forte impulso interior que nos fará dar mais um passo, no desconhecido e sábio caminho da alma!


Neste ponto de entendimento e aceitação, poderemos nos fazer outras "perguntas de poder":


O que devo fazer para estar verdadeiramente entregue ao poder de minha alma?


Quais são os reais anseios e propósitos de minha alma?


O que eu devo fazer para estar alinhado com esses anseios e propósitos?


Que conteúdos ocultos dentro de mim, me impedem de me entregar à verdadeira "jornada da alma"?


O que eu devo fazer para me libertar e me desapegar das amarras e bloqueios que eu mesmo criei?


Crie outras perguntas.
A pergunta contém a resposta, o que significa que só deveremos ficar na pergunta, sem esperarmos as respostas racionais...
Quando fazemos dessa forma, algo "mágico" acontece em nós e uma poderosa energia de alma é liberada em nosso ser, desativando bloqueios e liberando-os, e ativando tudo o que há de mais precioso dentro de nós, conduzindo-nos ao poder pessoal.
=============================================
Fonte: Facebook - 24.02.2013
=============================================
Todo homem é espírito, alma e corpo, mas geralmente a concepção das pessoas é alma e corpo. O homem possui essa dimensão tripla! 


O nosso corpo é a parte material, onde ficam nossos sentidos físicos, e já a alma é aquilo que entramos em contato com nosso eu, sendo o centro de nossa personalidade.
Porém o espírito é a parte onde nós temos comunhão com Deus, a parte mais importante e o centro de todo nosso ser. Deus habita em nosso espírito.


Se eu fosse falar dessas três coisas, iria dar em estudo, o contexto é muito longooooooo....mas quero falar da conversa da alma!


A alma é o que envolve a mente, a vontade e a emoção.
Então quando temos uma conversa da alma, os pontos principais a serem tocados são esses.


Quando converso com uma pessoa por vezes início com a conversa do ego, falando de tudo aquilo que é importante para a pessoa ou para mim, sem mencionar uma parte principal, que possa tocar em sua alma.
É complicado por vezes ter uma conversa profunda com uma pessoa. 
Por vezes falamos tanto com uma pessoa, e não falamos o que está dentro de nossa alma.
Raramente falamos palavras que comunicam quem somos, não conseguimos vivenciar o amor e alegria da vida real.


Quando sentamos com um amigo e ambos somente desabafam problemas, a conversa não gera vida, temos a conversa do ego social sem nenhum poder.


Se tivéssemos sempre a capacidade de saber gerir uma conversa com poder, direcionada para vida de uma pessoa...isso além de edificar poderia até mesmo salvar uma vida, falando nos dois sentidos, porque quando somos resgatados por Deus, seja de uma vida infeliz e vazia, ou uma vida que está mesmo a face da morte literalmente falando, somos salvos, porque essa conversa sim geraria vida, a conversa que vem do Espírito Santo, que poderá tocar no mais profundo de uma pessoa, que toca na alma.


Realmente, lá venho eu falando de Jesus de novo, novamente e etc... É que eu não entendo como eu consegui viver tantos anos da minha vida longe da realidade de andar com Ele! É uma coisa indescritível para mim, porque é muito, muito bom!

Ter uma conversa construtiva da alma, saber falar no profundo de uma pessoa através do que habita dentro de mim, INCRÍVEL! Como quero me aperfeiçoar nisso, ser um instrumento nas mãos de Deus. 

Não dá para estar me sentindo inadequada dentro de uma conversa, tenho que saber o que estou falando, ajudar realmente uma pessoa.
Para isso não basta eu apenas querer, tenho que cada vez mais alimentar meu espírito, já que isso faz parte de mim, deixar de alimentar minhas vontades.
Gaby
=============================================
Fonte: Facebook
=============================================