segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

ESTAMOS NOS APROXIMANDO... ESTAMOS REALMENTE PRÓXIMOS


Mensagem de Karen Bishop
8 de Fevereiro  de 2013

Os vislumbres estão chegando com regularidade agora, apresentando-se com frequência sem precedentes, enquanto começamos a incorporar a nova energia do novo mundo.

Quase que diariamente agora, e algumas vezes em vários momentos ao dia, eu posso estar olhando para algum objeto inanimado e, subitamente, ser levada a um lugar muito novo que está cheio de felicidade, alegria, amor “em estado normal’, e uma tranqüilidade e uma retidão com o mundo.

Não precisamos mais de um raio de luz para que eles se façam presentes, pois eles estão agora começando a se mostrar independentemente. Quais são alguns dos indicadores que estamos seguindo para algum lugar novo, mais uma vez?

Com esta última fase da ascensão, de 2012 em diante, tem sido muito típico experienciar umadepressão estranha e desagradável antes que nos movamos para algo muito novo e muito mais evoluído. Sentir-se desanimado, deprimido, ou apenas absolutamente desconfortável, é muito comum.

Alguns podem também experienciar o pânico, mas é predominantemente a depressão que ocorre imediatamente antes deste tipo de transição. Outro sentimento comum é que algo está “terrivelmente errado”, mas parece que não podemos colocar o nosso dedo nisto. Não nos sentimos bem em nenhum lugar, na parte mais profunda do nosso ser. Como se algo estivesse “distante”, em algum lugar.

Podemos ter também percebido recentemente que estamos completamente encaixotados, presos em situações, sem absolutamente nenhum recurso ou solução, ou basicamente, que não restou lugar algum para ir. Absolutamente, nada atualmente lá fora, se adapta ao que precisamos no momento. Estamos aparentemente no final da estrada. Realmente, realmente, no final da estrada.

Isto é o que cria os sentimentos de que “algo está terrivelmente errado”, pois, literalmente, esgotamos todo o espaço do velho e o novo deveria ter se apresentado logo!

Com esta última série da ascensão, de 2012 em diante, ter menos e menos “lugares” para ir tem sido uma ocorrência comum. Seja ao sermos literalmente impedidos, de ter alguma situação ou outra interrompida, ou de nos afastarmos de algo que éramos capazes de participar no passado. Estamos sendo desconectados, de modo que possamos avançar com muito mais facilidade. Embora a ascensão seja uma experiência planetária, ela é também muito individual.

Certo. Assim, de acordo com a última mensagem de 5 de Fevereiro, nós demos um salto e então estivemos arando através de uma pilha do velho, criando assim mais espaço para que residamos agora. Tínhamos que “arar”, porque, absolutamente, nada novo poderíamos criar no alto de qualquer coisa velha.

Este processo está ocorrendo agora nas realidades físicas, criando assim o novo. Inicialmente, esta aragem, ou a extirpação maciça, foi muito importante, pois as velhas rotinas seriam em breve substituídas por rotinas muito novas. Esta é a boa notícia porque a extirpação foi imensa, significando que o nosso próximo e novo espaço seria imenso.

As fases iniciais da erradicação e da preparação para o muito novo estão agora completas. Estamos em um estágio mais tranqüilo, enquanto nos preparamos para avançar para outra base nova. Isto, então, indica que muito em breve, será o momento de começarmos a nos movermos para este novo espaço.

Mas, aqui estão noticias mais encorajadoras:

Quando, inicialmente, chegamos a algum lugar novo, parece maravilhoso bem no início e então, geralmente, isto se desvanece enquanto passamos por muitos ajustes e mais aborrecimentos. Desta vez, enquanto continuamos a avançar, os momentos de sensação maravilhosa estão começando a se fixar.

Podemos percebê-los e experienciá-los se limparmos a nossa mente, ou talvez até nos pegarmos fitando algo, enquanto pensamos em outra coisa ao mesmo tempo. Estes espaços estão começando a ser vislumbrados agora, porque eles estão muito, muito próximos.

Ao mesmo tempo, estamos ainda experienciando a aguda pressão de cima, que é determinada a nos manter no espaço e assim não termos oportunidade de escorregarmos novamente para os nossos velhos espaços (oh, a dor ocasional no pé!).

Esta elevada pressão (e ainda mais sempre que chegamos a algum lugar novo) pode nos deixar sentindo extremamente fracos e esgotados (ah... isto terminará um dia?), sobrecarregando os nossos circuitos, deixando-nos sentir totalmente oprimidos e estressados, e nos impossibilitando de assumir muita coisa, pois qualquer coisa a mais poderia fazer tombar completamente o nosso carrinho de maçãs. Doenças físicas podem ainda estar presentes.

Esta última base nova é muito, muito forte e foi colocada profunda e cuidadosamente em seu devido lugar (assim, toda a extirpação e o stress), para que os nossos próprios pés muito em breve pisem.

Mas o melhor está ainda por vir com o Equinócio de Março, quando realmente, mas realmente, iremos incorporar mais luz do que nunca.

Do meu coração para o seu,

Karen

www.gamabooks.com
Tradução: Regina Drumond – reginamadrumond@yahoo.com.br
Grata
Regina!