sábado, 20 de março de 2010

Reencontro com a alma A medicina floral do Dr. Bach

         O Dr. Edward Bach, criador da terapia com essências florais e do sistema que recebeu o seu nome, nasceu em Birminghan, na Inglaterra, em setembro de 1886. Aos 20 anos, entrou para a Escola de Medicina, tendo se especializado em bacteriologia, imunologia e saúde pública.      Durante a I Guerra Mundial, o Dr. Bach era responsável por mais de 400 leitos de feridos de guerra no Hospital Universitário. No dia a dia do trabalho clínico com esses doentes, começou a notar que os pacientes reagiam diferentemente diante das mesmas enfermidades. Suas observações levaram-no a constatar que a índole do paciente tinha mais importância no tratamento e na cura das enfermidades do que as suas condições físicas.
    Cura-te a ti mesmo
         Em 1917, trabalhando na área de pesquisa, estudava o aperfeiçoamento de uma vacina quando foi acometido de um mal incurável. O Dr. Bach tinha 30 anos de idade e os médicos lhe deram apenas três meses de vida.      Vendo-se na contingência de morrer antes de terminar o seu trabalho de pesquisa, o Dr, Bach abandonou o leito do hospital. Já que ia morrer, queria ao menos deixar o seu trabalho concluído. Passou a viver praticamente dentro do laboratório, entregue às suas experimentações científicas.      Alguns meses depois, viu que estava curado, observando nele próprio o testemunho vivo dos infinitos potenciais de cura que os indivíduos conseguem mobilizar quando têm um objetivo a cumprir, quando se dedicam a um propósito.      Uma vez curado, retomou suas atividades médicas e de pesquisa. Em 1919 começou a estudar homeopatia e criou orais baseadas nas técnicas homeopáticas. Desenvolveu também uma grande clientela, tendo estabelecido consultório num dos endereços mais elegantes e respeitados de Londres.      Em 1929 era conhecido na Europa inteira como clínico e pesquisador. Nesses dez anos, o Dr. Bach gozou de um grande sucesso profissional. Ao lado disso, entrou também em um processo de muita reflexão, de reavaliação da própria vida, e de profunda auto-transformação. Mergulhando na alma
         Aos 43 anos de idade, em 1930, obedecendo a um chamado interior, abandonou suas atividades e foi para o campo, no País de Gales. Em longas caminhadas, ele tentava compreender, a partir de seu próprio processo de autoconhecimento, os conflitos mais profundos que invadem o coração do homem.      Dando ouvidos à sua intuição, percebeu que seu estado de angústia e desânimo melhorava quando ele se aproximava de determinadas flores. A partir disso, ele detectou as emoções negativas básicas que desarmonizam o ser humano: medo, solidão, indecisão, desalento ou desespero, desinteresse pelas circunstâncias atuais, sensibilidade excessiva a influências alheias e preocupação excessivas com o bem estar dos outros.      Para cada uma dessas emoções e suas nuances, o Dr. Bach encontrou uma flor que , transformada em “remédio”, reconduzia o indivíduo a um estado de harmonia e bem-estar.      Dedicou-se a esse estudo até 1934, quando estabeleceu o elenco dos 38 remédios que levam seu nome e escreveu os fundamentos de sua nova medicina.      Em 1936, aos 50 anos, disse a seus colaboradores: “Minha tarefa está cumprida; minha missão neste mundo está terminada”. Poucas semanas depois morreu enquanto dormia. Como atuam os florais
         A terapia com essências florais se baseia na existência de uma anatomia energética da qual é dotado o ser humano, tão real como este corpo físico que vemos e tocamos. Essas estruturas não são visíveis nem palpáveis porque vibram numa freqüência luminosa bem mais rápida do que os nossos sentidos podem perceber. Dentro desse conceito, admite-se a existência de camadas energéticas que chamamos de aura, centros de forças chamados chackras, canais por onde flui a energia denominados nádis, além dos meridianos e pontos de acupuntura.      Todas essas camadas e centros energéticos estão ligadas ao corpo físico por conexões elétricas. Através delas flui a energia que, oriunda do Universo, serve de sustentação e nutrição do corpo físico.      Para os terapeutas florais, a doença é o resultado de desarmonias e conflitos que ocorrem ao nível das emoções, nos corpos energéticos, e que acabam por se expressarem como doença a nível físico.      O objetivo desta terapia é, através dos poderes energéticos das flores, atuar no campo das energias, harmonizando as emoções e os sentimentos do indivíduo, conectando-o com sua essência divina e reconduzindo-o ao estado de saúde. Os sistemas florais
         Além do sistema floral do Dr. Bach, existem sistemas que foram desenvolvidos por outros pesquisadores, sobretudo a partir da década de 70. Os principais são o sistema floral californiano, dois australianos (Bush Essences e Living Essences), dois do Alasca, (Essências Florais e Ambientais), um sistema floral do deserto de Sonora, no Arizona (Desert Alchemy), um sisitema floral do Pacífico, o sistema do Havaí, as essências florais da Holanda, o sistema Deva francês, o Rumnning Fox Farm americano e o sistema argentino Flores de Raff.
         No Brasil, temos os Florais de Minas, desenvolvido por Breno Marques da Silva, o Sistema Agnes, com flores do cerrado, preparado por Gelse Campos e Lourdes Aguesini, Rain Forest, essências da Mata Atlântica criada por Sandra Epstein e, finalmente, o sisitema Filhas de Gaia, produzido em santuários ecológicos pela terapeuta mineira Maria Grillo.
"Atitudes, palavras, pensantos osos e negativos bloqueiam a passagem da Luz nos elétrons que compõem nossos corpos físico e suprafísicos, são as causas das doenças. A doença física é a cristalização de uma postura errônea de nossa personalidade, é um distúrbio energético que tem seu início em um dos corpos suprafísicos: etérico, emocional ou mental. Posturas estas que vão contra nossa Divindade Interna."

Neide Margonari


Os Florais de Saint Germain foram sintonizados a partir da Energia Sagrada dos 12 Raios Divinos contida em algumas flores. No total são 80 essências florais que vibram em uma freqüência energética de Transmutação, Transfiguração e Iluminação. A elevação da Consciência através desse tipo de essência foi vislumbrada e proclamada pelo precursor dos atuais sistemas florais, o médico inglês Edward Bach (1886-1936).
45 Essências – Módulo I

21 Essências – Módulo II

14 Essências Individuais

12 Fórmulas
Este sistema trabalha com o realinhamento dos corpos inferiores – físico, etérico, emocional e mental. Também fortalece a Consciência Crística, o Eu Superior, para a evolução da Alma durante o processo de Ascensão. A consulta pode ser feita presencialmente ou à distância, com jogo de fotos das flores que determina uma fórmula individual e exclusiva de essências ao cliente.

Raios Planetários*

1º Azul (Força – Poder – Determinação – Proteção): Allium, Anís, Canela, Carrapichão, Chapéu de Sol, Erbum, Goiaba, Melissa, São Miguel, Scorpius, Tuia, Varus.

2º Amarelo-Dourado (Sabedoria): Embaúba, Erianthum, Fórmula Leucantha, Leucantha, Perpétua, Sapientum, Thea.

3º Rosa (Amor Divino – Força Magnética): Alcachofra, Amygdalus, Begônia, Curculigum, Lótus/Magnólia, Pau Brasil, Pepo, Rosa Rosa, Vitória.

4º Branco (Pureza – Beleza – Perfeição): Algodão, Cocos, Flor Branca, Gerânio, Grandiflora, Lírio Real, Lótus do Egito, Madressilva SG, Patiens, Purpureum, Unitatum, Wedélia.

5º Verde (Verdade – Cura): Abundância, Bom Dia, Capim Seda, Fórmula Emergencial, Gloxínia, Helicônia, Limão, Monterey, Pectus, Sorgo, Triunfo, Verbena.

6º Rubi-Dourado (Amor – Paz – Misericórdia): Focum, Panicum, Populus Panicum.

7º Violeta (Transmutação – Libertação): Aveia Selvagem, Bambusa, Fórmula Leucantha, Grevílea, Incensum, Poaia Rosa, Saint Germain.


Raios Sutis*

8º Água-Marinha ou Branco-Azulado (Claridade – Clareza): Capim Luz, Jasmim Madagascar, Pinheiro Libertação, Poaia Rosa.

9º Magenta ou Rosa-Dourado (Harmonia Divina – Equilíbrio): Dulcis, Fórmula Emergencial, Mangífera, Myrtus, Poaia Rosa, Sergipe.

10º Dourado-Solar (Paz Solar – Conforto): Abricó, Ameixa, Boa Sorte, Fórmula Emergencial, Mimosinha, Lírio da Paz.
11º Pêssego (Propósito Divino – Entusiasmo – Alegria): Aloe, Boa Deusa, Cidreira, Fórmula Leucantha, Piper.

12º Opalino ou Arco-Íris (Esperança – Inspiração): Arnica Silvestre, Coronarium, Fórmula Emergencial, Indica, Ipê Roxo, Laurus Nobilis.

*Apenas as essências sublinhadas estão atualmente disponíveis.



      Com a energia do Sol      As essências florais são preparadas colhendo-se os melhores exemplares de uma mesma flor, mergulhando-as numa cuba de vidro esterilizadas contendo água da fonte e deixando-se tudo exposto a luz solar por cerca de três horas. A exposição é necessária para que se extraía da flor seu padrão vibratório, que é transmitido à água. Essa água então, se transforma na essência-mãe que é misturada com 50% de brandy (espécie de conhaque que é feito a partir da videira) para sua conservação.      Os kits distribuídos hoje no mundo inteiro são preparados adicionando-se duas gotas dessa essência-mãe a uma mistura de brandy e água mineral em partes iguais.      No preparo do medicamento que o doente ingere, a essência será novamente diluída em 70% de água mineral e 30% de brandy, em frascos de 30ml.      As sucessivas diluições não prejudicam o valor terapêutico do remédio, que é exercido pelo padrão vibratório que a flor imprime à água, e não por qualquer substância química. Isso também possibilita o seu uso por qualquer pessoa, em qualquer faixa etária uma vez que, não sendo remédio químico, não possui contra indicação.      Recomenda-se uma dose de 4 gotas 4 vezes ao dia, pingadas diretamente na língua. As gotinhas podem ainda ser diluídas na água, no suco , no leite, na comida ou aplicadas na testa. Existem ainda os florais em forma de cremes, loções e óleos de massagem para problemas de pele, queimaduras, entorses, ferimentos e contusões.


    .


    OS 38 REMÉDIOS
    Agrupados sob os seguintes títulos
    Para o medo:
    ROCK ROSE, MIMULUS, CHERRY PLUM, ASPEN, RED CHESTNUT
    Para a indecisão:
    CERATO, SCLERANTHUS, GENTIAN, GORSE, HORNBEAN, WILDOAT
    Para a falta de interesse pelas circunstâncias atuais:
    CLEAMATIS, HONEYSUCKLE, WILD ROSE, OLIVE, WRITE CHESTNUT, MUSTARD, CHESTNUT BUD
    Para a solidão:
    WATER VIOLET, IMPATIENTS, HEATHER
    Para a sensibilidade excessiva a influências e opiniões:
    AGRIMONY, CENTAURY, WALNUT, HOLLY
    Para o desalento ou desespero:
    LARCH, PINE, ELM, SWEET CHESTNUNT STAR OF BETHLEHEM, WILLOW, OAK, CRAB APLLE
    Para a excessiva preocupação com o bem estar dos outros:
    CHICORY, VERVAIN, VIVE, BEECH, ROCK WATER

    terça-feira, 16 de março de 2010

    Seichim Sekhem - A Cura Egípcia






    A história do Sekhem remonta ao Sacerdócio do antigo Egito, onde era usado como um sistema de curas. O sistema de Sekhem – A Cura Egípcia vem dos Ensinamentos Herméticos do Alto Sacerdote Imhotep, Mestre Egípcio de Amor e Luz.

    O significado da palavra SEKHEM tem as mais variadas traduções: “poder dos poderes”, “poder divino”, “energia poderosa”, “fogo gerador”, “o que prevalece”, “luz da manifestação feminina do Criador”. O hieróglifo SEKHEM também é atribuído a Imhotep, Sacerdote Chefe do Faraó Djozer, cerca de 2.700 antes de cristo, um homem e sábio de extraordinário talento e o nosso principal Guia Espiritual nesta jornada.
    Sistema de Sekhem – A Cura Egípcia, foi estruturado e individualizado no ano de 2002 através do meu trabalho com os Sistemas de SEICHIM/SEKHEM. Durante meus seminários de SEICHIM/SEKHEM pude vivenciar uma força poderosa, amorosa, porém diferente de todos os meus outros trabalhos
    energéticos. Pesquisadora que sou abri meu coração e minha mente para poder compreender alguns fenômenos de orientações canalizadas que vinha recebendo, já a algum tempo, de um Guia Espiritual. A partir desta postura de Personalidade fui resgatando a cada momento e a cada dia, experiências sagradas do Antigo Egito e assim poder "abraçar" e me "entregar" ao meu Guia Espiritual que foi identificado como "Mestre Egípcio de Amor e Luz" e, após algum tempo, por IMHOTEP.

    Sekhem – A Cura Egípcia também muito se desenvolveu por pesquisas e estudos pessoais dos trabalhos do Dr. Robert Master, Ph.D. em Psicologia Clínica, Diretor de Pesquisa da Foundation for Mind Research (Estados Unidos), sobre a Deusa SEKHMET

    Sistema de Sekhem - A Cura Egípcia

    Atualmente, de acordo com as necessidades de harmonização e cura dos filhos(as) da Mãe Terra e da Cura Galáctica, novamente chegaram novas orientações e informações e o sistema mais uma vez se atualiza, se desenvolve e se modifica. Porque tudo na natureza e no Universo obedece a uma lei cósmica universal e possui seu ciclo de regeneração e transformação. É esperado que tudo que nasce, cresça, morra, se transforme e renasça. Por essas afirmações, nasce no ano de 2006 novas técnicas no Sistema de Sekhem - A Cura Egípcia.
    O Sistema de Sekhem - A Cura Egípcia é um sistema curativo completo, um método espiritual de Magia e Sabedoria milenar dos Sacerdotes da Escola de Mistérios do Olho de Hórus. É um poderoso sistema que resgata habilidades esquecidas de tratamentos, rituais e cerimônias sagradas, durante a formação da atual Personalidade, para que possamos curar com a proteção energética todos os níveis da nossa vida, todos os corpos áuricos da nossa atual existência e da vida dos que estão em nossa volta e daqueles que nos procuram.
    Através do Sistema de Sekhem – A Cura Egípcia podemos confirmar que a doença deriva de uma infinidade de relações perturbadas – entre o corpo e a alma e entre o indivíduo e sua família, seus ancestrais, sua comunidade e regiões invisíveis – todas as quais devem alcançar um novo equilíbrio dinâmico para que a cura se efetue. Os iniciados em Sekhem – A Cura Egípcia trabalham com o paciente em um nível espiritual, emocional, social e até mesmo cosmológico para que este paciente possa harmonizar e recuperar sua saúde, seus relacionamentos enfim sua vida – recuperando e purificando a essência de sua alma. Em Sekhem – A Cura Egípcia os chakras ou vórtices de luz vão ser limpos, purificados e ativados para que retornem à sua forma energética original de roda e para que assim o Canal Espiritual de Luz (linha que corre no meio da coluna cervical) seja ampliado. Dessa maneira Sekhem vai, passo a passo, desabrochar o chakra do timo – “A Morada da Alma” - e o chakra do coração em um grande Ponto de Luz, despertando o Poder, a Sabedoria, a Abundância e o Amor Divino dentro de nós.
    Nota: os rituais iniciáticos, as técnicas e os ensinamentos herméticos do Sistema de Sekhem – A Cura Egípcia, não possuem nenhuma semelhança com os demais Sistemas de Seichim/ Sekhem, apesar de alguns desses sistemas utilizarem a denominação da “Cura Egípcia”
    “Que todos aqueles que possam se beneficiar deste caminho sejam guiados a ele. Que a Grande Luz Viva do Arco-íris brilhe sobre você e dentro de você. Que ela alimente a sua vida com impulsos de satisfações e realizações. Que este brilho ilumine o seu caminho para sempre”.
    Com Amor e Gratidão ao Mestre Egípcio de Amor e Luz,
    Deise Ruas

    IMHOTEP – O Guia e orientador espiritual de SEKHEM – A Cura Egípcia.

    Imhotep, literalmente "aquele que veio em paz", foi um Alto Sacerdote da Escola de Mistérios. Primeiro Ministro, Vizir e Chanceler do Faraó Djozer, da 3ª Dinastia, nasceu a 31 de maio (em torno de 2.800 A.C.). Pai da Arquitetura, projetou e construiu a primeira pirâmide do Egito, em Sakara, e todo o complexo ao seu redor. Primeiro Filósofo da história, dedicou-se a analisar os conceitos de tempo e espaço, a natureza das doenças, a existência de Deus e a imortalidade. Ele representa a base conceitual da civilização egípcia. Astrólogo e Astrônomo, criou os primeiros registros sistemáticos da Abóbada Celeste, criando os primeiros mapas das constelações.
    Mas foram as qualidades de Imhotep como médico que o converteram em um semideus. Os gregos, que estudaram os egípcios, o chamavam de Asclépios ou Esculápio, para marcar os seus conhecimentos médicos. Também o chamavam de Hermes Trismegistus – o Três Vezes Sábio, por suas qualidades como filósofo e físico, já que revelou as bases de como o Universo funcionava. Imhotep foi o primeiro a compilar as informações sobre como diagnosticar e curar muitas doenças. O papiro médico Weber mostra a maneira como Imhotep misturava a magia com a medicina. Suas fórmulas de remédios estão cheias de rezas e encantamentos, pois ele acreditava que a medicina não curaria sem que recebesse poder através da energia da palavra. Seus textos e ensinamentos passaram secretamente de geração a geração, durante milênios, e são as bases dos conhecimentos gnósticos dos Templários, Iluminatis, Rosacruzes e Maçons. Imhotep deixou para a posteridade vários papiros e textos. Um deles, o Caibalion, fala de sete princípios fundamentais do Universo, os Princípios Herméticos. Neste texto, afirma que o Universo existe na mente de Deus e que cada homem é único com seus pensamentos, com a faculdade de pensar individualmente, e que a realidade é um grande sistema onde todas as coisas tem consciência e são interligadas.


    SEKHMET E AS FORMAS E MANIFESTAÇÕES FEMININAS DE UM ÚNICO DEUS

    Os Altos Sacerdotes das Escolas de Mistério entendiam que, como todos os seres do Universo, Deus tem uma parte masculina emissora da qual flui a informação e uma parte feminina que a recebe para gerar, com a sua substância, tudo o que é criado. A essa manifestação e forma feminina de Deus também deram três nomes e neles estão a força que polariza, transmuta, reconcilia, harmoniza, regenera e gera, e é a origem do nome de SEKHEM

    NUN – quando era apenas uma substância homogênea original, sem forma, em estado de perfeito equilíbrio. O líquido amniótico do Universo não manifesto.

    SEKHMET –quando se polarizou em duas forças opostas e se transformou em uma substância radiante do Fogo ou princípio multiplicador em movimento que gerou Nefertum, o Universo que reconcilia e harmoniza temporalmente as forças opostas. O Fogo produz o movimento, o tempo, e o espaço coagula e produz os estados sucessivos da matéria, o Ar, a Água, a Terra e por último a força da vida, representada por Hathor, a substância que gera e multiplica as consciências que expressam o espaço/tempo.

    MUT - quando gerou as quatro forças que impulsionam a consciência evolutiva do homem, que são: Osíris, Ísis, Seth e Nephtys, personagens míticos que representam as energias arquetípicas da evolução humana, por meio do movimento dual, onde posteriormente, as forças da Luz como Osíris e Ísis cristalizaram energias tão poderosas que os Egípcios os veneravam como Deuses com o seu filho Hórus – A Iluminação.
    O nome Sekhmet, contém a palavra raiz Sekhem, que significa Poder ou a Força Sagrada. Deusa venerada pelas Escolas de Mistério, entre seus 4000 títulos, que foram preservados pela história, citamos alguns: “Grande Ser de Cura”, “O Poder do Coração”, “Ser Cintilante”, Mestra Amada”.
    Dentro da mitologia egípcia, Sekhmet é a defensora de Ma’at – aquele que é a Verdade ou a Ordem do Universo. Como o Olho de Rá, Sekhmet entra na esfera da Terra; como Sekhmet, Ela transforma a Terra, e como Hathor, Ela governa a terra.


    “Eu sou a Mãe de vocês, e de cada homem, e de cada mulher.
    Não há nada que voe, ou rasteje, ou nade, ou ande nesta Terra que não tenha origem no meu Ser.
    Eu tenho sido a sua Mãe muito antes de você nascer, e
    Eu continuarei sendo sua Mãe muito depois que seus ossos se  
    Transformarem em pó e serem carregados pelo vento
    Através do mundo.
    Todo aquele que vive, nasce gerado do meu Sagrado Ser, desde  
    O menor grão de pó, até a Maior das Criaturas"
    SEKHMET, SEKHMET, SEKHMET


    Nota: Como um Fogo Radiante, a manifestação divina feminina de Sekhmet coloca em movimento as forças opostas de luz e sombra que todos temos dentro de nós, gerando vários mitos e afirmações. Alguns desses mitos deram ênfase apenas à figura de Sekhmet como “a força da raiva – a fera que tudo devora”, afirmação simplista que ignora a polaridade e a afirmação que: “somente quando trabalhamos e entendemos a raiva e a sombra, encontramos a harmonia e a paz interior. A Flor de Lotus nasce na lama do pântano para a luz do Sol. Assim acontece a verdadeira harmonização e cura, quando “devoramos com a força de um Leão” aquilo que não nos serve mais, perdoando nossas dores e sofrimentos, encontrando e libertando a luz encoberta em nossa escuridão e em nossas mascaras de fingimento.” 

    DEISE RUAS

    FONTE: http://www.deiseruas.com.br/

    Da Vinci previu o fim do mundo, diz pesquisadora

    Interessante...leiam:

    15 de março de 2010


    (Foto: Reprodução)
    Um outro código Da Vinci pode vir à tona. É isso que garante uma pesquisadora do Vaticano, que afirma que Leonardo Da Vinci previu o fim do mundo para o dia 1º de novembro do ano de 4006. Segundo Sabrina Sforza Galitzia, citada em reportagem do jornal britânico The Times, as evidências foram encontradas no afresco A Última Ceia, o mesmo utilizado no romande de Dan Brown.
    De acordo com a pesquisadora, a janela central sobre a imagem de Cristo e seus discípulos antes da crucificação contém um quebra-cabeça matemático e astrológico que ela conseguiu decifrar. O resultado desse enigma seria a previsão de que o mundo pode acabar em uma "enchente universal" que terá início no dia 21 de março de 4006 e terminará no dia 1º de novembro do mesmo ano. Documentos apontam que Da Vinci acreditava que essa data marcaria um "novo começo para a humanidade".
    "Existe um código Da Vinci – e não é aquele que se tornou popular graças a Dan Brown", disse Sforza Galitzia, que já estudou os manuscritos de Da Vinci na Universidade da Califórnia e agora trabalha nos arquivos do Vaticano. Atualmente, ela analisa códigos escondidos na obra do artista que envolvem signos do zodíaco e o uso das 24 letras do alfabeto latino usadas para representar as 24 horas do dia.
    A Última Ceia possui 4,6 metros de altura e 8,8 metros de largura e cobre uma parede inteira do Convento de Santa Maria das Graças, em Milão. Da Vinci começou a pintá-la em 1495 e terminou três anos mais tarde. A obra foi bastante explorada no romance O Código Da Vinci, de Dan Brown, que sugeria que a figura ao lado de Jesus não seria o apóstolo João e sim Maria Madalena, grávida de Jesus.

    segunda-feira, 15 de março de 2010

    Minha última Conquista.


    Este é meu certificado de nivel 2 do curso de Seichim/Sekhem - uma experiência libertadora!
    Em breve virei com mais informações sobre o reiki Egípcio e All Love...porque Todo Amor que tivermos é necessário para a transformação, que primeiro começa dentro de nós.
    Aguardem.

    sábado, 13 de março de 2010

    Um pouco sobre a dona deste Blog.


    Eu Sou Gisele Santos.
    É engraçado quando falamos de nós mesmos, mas é interessante notar que minha vida sempre foi uma surpresinha atrás da outra. Vou colocar algumas linhas sobre mim, aqui.

    Sempre gostei do mundo místico e desde muito cedo sempre me identifiquei com oráculos.
    Antigamente, existia uma revista chamada "Destino" cujo objetivo era falar sobre todo este universo que considero mágico e fascinante. Essa revista foi a chave para a porta que eu estava procurando.

    Um dos primeiros oráculos que conheci, foi o milenar I Ching. Apaixonei-me. Embora fosse um maravilhoso oráculo, suas respostas extremamente complexas não me agradavam pela difícil interpretação em alguns casos, e a ambiguidade das respostas em relação às questões abordadas ainda era demais para minha cabeça. Eu tinha apenas 8 anos quando este oráculo caiu nas minhas mãos, pouco conhecimento para conseguir interpretar este oráculo, considerado o oráculo da vida.

    Mais adiante, fui compreendendo a complexidade dos assuntos, quando mais eu lia, mais queria ler, compreender e absorver as informações que me chegavam... estranho porque parecia que eu ja compreendia tudo num certo nível, e estava apenas, recordando. Foi quando li sobre vidas passadas, terapia de  regressão e reencarnação. Pensei...seria realmente possível uma pessoa nascer várias vezes para poder resolver problemas pendentes? E por que isso era necessário e como acontecia?

    Perguntas complicadas e ninguém conseguia me responder. Até porque a maioria das perguntas estava dentro de mim, e eu só buscava respostas nas revistas que me davam. Sem ter coragem de me manifestar a outras pessoas.

    Escrevi alguns livros dos 10 aos 16 anos. Não tinham a ver com este universo, mas parecia que as palavras saíam facilmente... como se eu já soubesse exatamente o que escrever como se eu já tivesse vivido tudo aquilo que estava escrevendo... a impressão continua até hoje. Minha escrita era praticamente automática, tanto que pensei em comprar um gravador, porque a velocidade com que as idéias se passavam em minha cabeça, era tremenda e muitas vezes eu não conseguia passar para o papel e a idéia se perdia na imensidão de novos pensamentos. O tema dos livros? Eram romances. Foram 5. Nenhum deles publicados. Uma pena, porque por um descuido perdi todos. Foram escritos num caderno rascunho, um deles até foi transcrito para o computador, mas o disquete no qual fora salvo, perdeu-se - pra sempre.

    Com 15 anos conheci um outro oráculo...  um bem popular. O tarô. 
    Eu adorava comprar aquelas revistas de horóscopo, que compramos quando somos adolescentes - pelo menos as garotas compram...bom, algumas compram...ou lêem de uma amiga. 
    Eu amava estas revistinhas, e numa delas veio de brinde um mini baralho de tarô e dentro o significado das cartas e como utilizá-las. Foi paixão à primeira jogada. Este foi o segundo oráculo que conheci e preferido até hoje.

    Surgiu enfim a astrologia, li muito sobre esta ciência e arte. Estudei bastante, mas não me especializei nela, até porque não tinha como adquirir os livros complexos que eu tanto desejava e até aquele momento eu não possuía esta maravilhosa máquina chamada computador, não tinha o google, para fazer minhas pesquisas infinitas. Então estudava apenas com o material raro e escasso que caía nas minhas mãos. Nada muito técnico, mas mesmo assim eu absorvia cada palavra.

    Um tempo depois, parei de escrever. Parecia que tinha perdido a graça, ... ou pelo menos eu deveria dar um tempo. Li sobre Feng Shui (lê-se Fon Suei), entendi um pouco sobre Numerologia...aqueles números podiam desvendar muita coisa, mas ainda nao me geravam tanta curiosidade...a ponto de estudá-los mais a fundo.

    Até que um belo dia ganhei meu primeiro baralho de tarô " de verdade". Estranhei o tamanho das lâminas, mas a beleza delas era imensurável. O Tarô Mitológico que utilizo até hoje em minhas consultas. Depois dele ganhei alguns Tarôs como o de Marselha, Tarô Zen de Osho, Tarô Egipcio...enfim. Mas tarô, é tarô.



    No final de  2005 comprei meu computador e conheci algo muito interessante - uma tal rede de relacionamentos que só podia entrar se fosse convidado... o orkut! Arrumei logo quem me pudesse mandar um convite, claro, não podia perder a oportunidade de descobrir esta novidade... E a-do-rei.

     Descobri que além de conhecer pessoas novas - coisa que toda sagitariana (como eu) simplesmente é fascinada, poderia aprender muito com elas, principalmente, dividir os conhecimentos que havia acumulado até esta data. Foi aí que descobri que existiam comunidades virtuais onde poderiamos criar uma rede de relacionamentos e fóruns de discussão sobre um determinado tema. Então criei a comunidade que até então se chamava Esotérico e Sobrenatural... 

    Expus muito daquilo que eu pesquisava, mas de sobrenatural entendi que não tinha nada. Então fiz uma eleição de um novo nome depois de um ano, e ficou Filosofia Esotérica, até porque o tema central era tudo que envolvesse esse lado Mistico/ Holístico, Esotérico e Exotérico...por assim dizer, porque estas duas ultimas palavras são de diferentes sifgnificados.

    Aprendi a arte de divulgação da comunidade... e em pouco tempo ela cresceu. Em 1 único ano ja estava com cerca de 2,500 membros, no ano seguinte estava com 6,000 e atualmente esta com quase 11 mil membros. Meu "profile" do orkut foi roubado por um hacker, minha comunidade também. Mas consegui reavê-la, posteriormente.

    Conheci pessoas maravilhosas, e o Reiki também. 
    Foi o começo da minha transformação. 
    Energia maravilhosa. 
    Minhas experiências começaram a sair da teoria... e seguir para a prática.
    Se eu estava dormindo de repente acordei e tomei um verdadeiro choque.

    Falaram-me da existência de seres extraterrestres que ajudavam os seres humanos. Na minha cabeça Ets ainda eram aquele monte homenzinho verde e cinza que vemos na versão hollywoodina. aUm tempo depois me veio a informação sobre dimensões... realidades paralelas, poderes e dons psíquicos. Chacras, aura, energia,  projeção astral, curas à distância.

    Comecei a escutar muito uma famosa rádio esotérica aqui de São Paulo chamada Rádio Mundial. Depois de um tempo percebi que aquilo que eu até então conhecia era muito pouco na frente de tudo o que existia. Conheci mais e mais pessoas que foram me ajudando a tirar os véus do esquecimento.

    Descobri então algo sobre a Grande Fraternidade Branca. Até então eu mesma nao conseguia ver e nem exergar nada, e ficava curiosa para entender como as pessoas podiam ver, ouvir coisas através de clarividência e clariaudiência e como funcionava isto que chamavam de mediunidade, sensitividade.

     E por que em algumas pessoas era bem mais avançada que em outras, já que todos têm em algum grau esta faculdade. Algumas já nasciam realmente "abertas" para estas experências. Outras necessitavam ir trabalhando seus dons psíquicos para que conseguissem ser um pouco mais "sensíveis" digamos assim. Eu sentia que esse era meu caso.

    Tomei florais, me auto-aplicava reiki, participei de algumas vivências. E isso foi me abrindo para um universo diferente de possibilidades infinitas, um imenso leque se exapdiu bem à minha frente. Descobri da existência de seres de elevadíssima vibração, que alguns chamam de mentores, guias ou anjos da guarda. E da existência de seres de baixíssima vibração também, porque existem os dois lados da moeda.

    Tudo isso serviu como experiência. Resolvi então que precisava criar um site para ampliar a divulgação de meus estudos e idéias. Descobri a diferença entre um site e um blog, e optei pelo segundo, criei o blog da comunidade no orkut que já era um sucesso.

    Atualmente o blog Filosofia Esotérica tem cerca de 5 mil visitações por mês do Brasil e do exterior. Um sucesso que de uma certa forma eu já esperava, visto que os assuntos abordados estão cada vez mais em pauta na mente das pessoas. Muitos adolescentes chegam a mim com as mesmas dúvidas que eu tinha na mesma idade. Muito confusos devido a fatores culturais, religiosos, e sociais impostos a eles. Apavorados e amedrontados pela crença de estarem ficando loucos, ou estarem imaginando coisas, quando simplesmente estão "despertando" para a realidade dos fatos. Qual realidade? A de que vivemos numa sociedade de zumbis, manipulados por algo chamado mídia, que nos bombardeia com idéias pré-concebidas de uma realidade ilusória apenas para nos manter presos e sem chance de reação. Porque claro, quando começamos a ter coragem para reagir, ela vai lá e nos bombrdeias com suas ideias de que a sociedade não tem mais jeito, de forma maquiavélica e manipuladora, para que continuemos na falsa crença de que está tudo acabado e nada tem jeito.

    Fora que há muito mais coisas acontecendo no mundo que não somos informados pela mídia.

    Mas enfim. Acho que era isso que eu queria falar. Falei um pouco sobre mim, minhas idéias.
    Hoje sou Mestre Reiki, não me gabo por isso, porque se tem algum mérito em ser mestre é de ter o reiki em mim e poder como canalisadora da energia passar este conhecimento adiante, auxiliandor meus semelhantes rumo à ascenção. Sou Sacerdotisa da Ordem de Melquisedeck, iniciada no método de cura YOD, e na cura Egípcia Seichim Sekhem/SKHM - que aliás, é uma energia espetacular. 


    (Meu marido, Douglas - meu primeiro aluninho de Reiki - Um marco na minha vida... )

    Dou aulas a preços populares, com hora marcada na região da Penha, no consultório de uma amiga, os recursos são escassos, não é ainda uma sala preparada para estas aulas, mas assim como Mikao Usui, o histórico Jesus, e Buda transmitia suas curas nas ruas, para pessoas simples que não podiam pagar pelos tratamentos,ajudo desta forma levando conhecimento a quem desejar, também de forma simples, muitas vezes improvisada, mas certamente com tanto amor que muitas vezes não cabe em mim.
    Minha grande vontade é passar o reiki para tantas pessoas quanto for possível, pois é uma energia simplesmente maravilhosa que esta ao nosso alcance, e que voltou para ajudar na elevação do padrão vibratório das pessoas e consequentemente de nosso planeta que esta tão necessitado.

     Foto com meus alunos de Reiki, Alexandre (reiki nível 1), Carla (ao centro)  que concluiu o mestrado. 



    Abaixo com amigas ( da esqueda para direita) Carla, Eu, Caroline, Angelique e Sueli. Com excessão de Carol, as outras lindas moças também são minhas aluninhas de reiki.

    Um sonho? Montar uma salinha para dar estas aulas, transmitir este conhecimento e as iniciações de forma simples, mas não me ater somente neste ambiente. Algumas pessoas até me procuram para aulas e iniciações de reiki à distância - e faço com prazer, até porque muitas não têm a possibilidade de ter um mestre em sua cidade, ou mesmo os recursos financeiros suficientes para pagar cursos que muitas vezes vemos que são extremamente caros - um verdadeiro absurdo na minha opinião. Não que o trabalho não deva ser cobrado, até porque temos custos e despesas, mas  os preços inflacionados que vemos por aí para se transmitir um conhecimento que todos deveriam ter por direito disponibilizado de forma acessível, é simplesmente algo que não há como se concordar.

    Meus sonhos ? Vou conseguir realizar. Afinal estou aqui para trazer esperança e luz para as pessoas que buscam, independente de suas crenças de forma simples e humilde. Estou de coração aberto, aprendendo sempre com meus erros e acertos. Não acredito em coinscidencias, pelo simples fato de entender que nada acontece por acaso. 
    Erros? Não. 
    Aprendizados. 
    Estamos todos aqui aprendendo. 

    Eu aprendi um pouco aqui com você, assim como você aprendeu um pouco comigo. Se você parou para ler até aqui, entenda que de fato, não existe o acaso.

    Obrigada,
    Paz e luz em todos os Quadrantes.
    EU SOU GISELE SANTOS.

    PRÊMIO - SELO FILOSOFIA ESOTÉRICA



    Eu, Gisele Santos (Isis Nejder) 
    estou lançando aqui no blog um selo especial.

    Um prêmio para todos aqueles blogueiros que se preocupam em ajudar seus semelhantes contribuindo todos os que
    buscam através do auto-conhecimento, da busca por respostas, e da vontade de auxiliar seus semelhantes a alcançar a evolução em suas vidas, em todos os sentidos, fisico, emocional e espiritual. Pessoas que unidas através de um mesmo ideal se tornam exemplos para tantos outros. Pessoas que através do interesse comum de conhecer, experimentar, ousar e aprender, iniciaram a trajetória para a ascenção pessoal e planetária. Este selo vai para todos estes Agentes da Luz Universal que em sua busca constante contribuem para a elevação do padrão vibratório do planeta e das pessoas que nele habitam trazendo informações com temas voltados para a Espiritualidade, Ocultismo, Magia, Terapias Alternativas e Complementares, Cabala, Astrologia, Wicca, Paganismo, Mediunidade, Numerologia, Teosofia, Oráculos, Parapsicologia, Ufologia entre tantos outros também relatados neste blog. Este selo é uma homenagem a todo aquele que veio fazer a diferença trazendo a Luz aqueles que a buscam!  
      São regras para a premiação:     
    1. Eleger 10 blogs que, por sua apresentação, conteúdo e qualidade em relação aos temas propostos à premiação, tenham conseguido estabelecer um diferencial que você considere importante e deseje reforçar e premiar com um Selo do Prêmio Filosofia Esotérica - é importantíssimo notificar seus eleitos, neste caso, via e-mail ou mesmo um comentário em seu blog. 
    2. Publicar uma postagem mostrando o prêmio, as regras, citar o nome do blog que lhe premiou, linká-lo e informar seus 10 eleitos.      
    3. Exibir a distinta imagem do selo do prêmio em seu blog, neste caso deve copiar e colar este selo em seu blog.      
    Imagem em tamanho original do selo:
    Estou sempre garimpando pela net em busca de blogs e blogueiros que sinto de dar este selo... em breve lançarei minha nova lista de escolhidos. Aguardem.

    quinta-feira, 11 de março de 2010

    DUALIDADE, UNICIDADE E O PORTAL 11:11

    Pesquisando Sobre o tema: dualidade deparei-me com este artigo bem interessante da Vera Helena Tanze, que relata exatamente o que esta acontecendo. Falando sobre o Portal 11:11 e o fim da dualidade, e sobre a Unidade, quando tudo aquilo que não for verdadeiro, estará se desfazendo e quando as mascaras das pessoas estarão caindo.  Segue o artigo.

    O Portal 11:11

     
    :: Vera Helena Tanze ::
    site SOMOS TODOS UM

    Olá amigos,
    Estou escrevendo, novamente, sobre o Portal 11:11, devido ao grande número de e-mails que recebo, perguntando sobre o assunto.
    11:11 não é só um Portal Dimensional, mas uma poderosa energia que cada um sente de uma forma. Quantos de vocês deram pausas repentinas no que estavam fazendo e olharam para o relógio, constatando ser 11:11 Hs.
    Esse Portal é um canal direto com nosso Eu Superior, pelo qual podemos evoluir. Esse Portal - em suma - marca o fim da dualidade e a abertura para a Unidade, que é nossa Essência Divina.

    Antes desse Portal de abertura, existiu outro, quando da existência das grandes civilizações em Shambala, no Deserto de Gobi e An, próximo ao Lago Titicaca.
    Essas civilizações desapareceram do plano físico, mas muitos dos seus seres mais elevados se tornaram Mestres Ascensos, enquanto outros optaram por continuar no ciclo reencarnatório e esperar o próximo Portal de abertura dimensional, com o intuito de auxiliar na evolução planetária.

    O 11:11 é o primeiro Portal na Nova Oitava, para o retorno ao lar.
    Estamos sendo auxiliados por várias hierarquias cósmicas, como a Ordem de Melquizedec, as Legiões do Arcanjo Miguel, as famílias de El, An, Ra, Anjos Solares do Grande Sol Central.
    Por outro lado, a batalha da dualidade está acentuada, como num grande e apertado funil, onde tudo acaba se misturando.
    Por isso é necessário que ancoremos firmemente nosso modelo de Unidade, único passaporte de volta para casa. Novamente haverá os que optarão por permanecer até o próximo portal para auxiliar a construir a Nova Terra, outros não passarão mesmo, e os demais poderão retornar aos seus lares.
    Por longo tempo, carregamos em nosso banco de memória que fica armazenado no DNA, lembranças seladas de nossa origem e história. Agora o véu está caindo, e as lembranças tendem a aflorar.

    Isto gera um certo desconforto - como tudo que é novo produz - com conseqüências físicas, como irritação, depressão, tristeza, tontura.
    Nossa 1ª tarefa, de despertar, é de assumirmos como seres multidimensionais que somos, para que possamos fundir a 4ª e 5ª freqüências dimensionais na bem conhecida 3ª dimensão.
    Embora este portal tenha começado a se abrir em 11/90, a data oficial é 11/01/1992. É uma viagem ao desconhecido que nos levará mais próximo de nosso lar. É uma escola nunca antes experimentada.

    Este símbolo 11:11 está codificado em nossos registros, muito antes de encarnarmos pela primeira vez, e ele foi como que escrito nas fibras de nosso DNA pelos Conselhos Estelares.
    Agora é o momento de disparar o código, permitindo que os selos sejam descobertos.
    Percebem que cada vez que olham para o relógio e virem o 11:11, é um chamado do Universo? Ou ainda acreditam em acaso?
    Muitos tentam em vão saber qual sua missão, fazendo meditações, buscando centros espíritas, etc... mas as Ordens permanecem ocultas... Por que?
    Simples, as Ordens Secretas contém os esquemas da Divina Missão individual, que somente podem ser revelados àqueles que estejam ancorados firmemente no modelo da Unidade. Para isto, é imprescindível que unam os fragmentos de seu Eu.
    Essas Missões Divinas não são para serem abertas por um fragmento do Eu de 3ª dimensão. Se você se enquadra neste caso, só há uma coisa a fazer: esqueça de suas Ordens Secretas por enquanto e se concentre no seu Eu Superior. Automaticamente, irá se conectando e só quando incorporar totalmente sua presença Eu Sou no seu corpo físico, ser-lhe-á revelada sua Missão. Isto também se deve à autopreservação, pois se tivéssemos consciência sem o preparo exigido entraríamos em pânico.

    Para se conectar realmente com o Eu Superior é tão simples que muitos até duvidarão... Basta seguir com suas vidas, fazendo o melhor que puderem por vocês e pelos outros. Use a ética em todos os setores de sua vida, que com certeza, os selos irão se abrindo. Não pense mais sobre sua Missão, apenas faça sua parte nas mínimas coisas, afinal, o segredo está na simplicidade das coisas...
    Vejam um botão de rosa que se abre numa linda flor... Quem poderia imitar tal feito? Ninguém. Entretanto ele é aparentemente tão banal e corriqueiro.

    Todos nós viemos das estrelas, mas estamos divididos em três grupos: Os despertos; os que estão em processo de despertar e os que optaram por não se lembrar.
    Os despertos se reconhecem entre si, com profundo respeito e apoio bilateral, pois os egos foram transcendidos. Simplesmente se reúnem na Unidade para fazerem sua parte a serviço do Todo. Além disto, este grupo tem a incumbência de despertar o segundo grupo, dos que estão em processo de despertar. Daí a emergência dos canais estarem trabalhando mais rápido, pois falta pouco tempo. O terceiro grupo, dos que optaram por não se lembrar, são excelentes como são. Devemos respeitar o momento de cada ser e suas escolhas.

    Entre 16 e 17/8/1987, houve a Convergência Harmônica que ancorou a 4ª dimensão. Muitos seres vieram nesta época para auxiliar e possibilitar esta ancoragem (vide artigo crianças especiais..). Em 11/7/1991 houve a grande Eclipse Solar que iluminou os canais para a abertura da entrada efetiva do Portal 11:11, em 11/1/1992. Em 11/11/91, houve a ativação planetária pela Ordem de Melquizedec, que abriu a porta para a antiga sabedoria. Com o Portal, foi dado um salto quântico que vem sendo reforçado na Terra.
    Quando alcançamos um Merkabá (Nave Consciência - vide artigo...) de um grupo que atravessou o Portal 11:11, chegamos até a 7ªoitava. É o destino para a grande maioria. Aí, então, a Terra descansará já transformada. É aqui que se constrói o Novo, a Nova Terra, cujos habitantes viverão em Unidade. Então, o Portal 11:11 se transformará em 22. Neste ponto optamos se queremos ir mais além, para a 11ª oitava, onde o 22 se transformará em 44.
    A 11ªoitava é a plataforma de lançamento para o Além do Além. Entretanto o mais importante é saber que os seres da 7ª oitava ou da 11ª e os do mais além, residem dentro de um modelo de Unidade, podendo ter contato entre si.

    Os que estão experimentando a energia do 11:11, estão sentindo profundas modificações em seu interior e em suas percepções. O que era imaginação e instinto, hoje é fato, é ponto de partida para ações.
    Em outros artigos, quando falei nas mudanças de DNA, a mais importante é a Unidade, que estará sendo reconectada com seu Eu Superior, permitindo uma maior sutilização do ser.
    Para aqueles que optarem por permanecer na dualidade, e que são maioria, afirmo que todos serão beneficiados, pelo Portal 11:11, porque, como SOMOS TODOS UM, mesmo que uma porção de nós opte por ir para além da dualidade, os que ficarem aproveitarão, pois os que se moverem para cima, deixarão responsabilidade para os que ficarem, que necessariamente deverão caminhar para frente, causando um realinhamento maciço da dualidade.

    Os que forem não estarão abandonando aos que ficarem, pois nunca nos separaremos de parte de nós mesmos. Fomos chamados a seguir, da mesma forma que fomos chamados a ser voluntários, há muito tempo. Não estamos nos separando, pois o que é invisível se tornará visível para todos.

    Chegará um novo Portal e vocês irão dando lugar aos que ficarem e assim sucessivamente, até que retornemos à Fonte.
    Houve tempos em que não sobrevivemos ao teste final e o nosso planeta foi aniquilado. Agora é novo teste. Olhem para dentro de si e busquem em suas células sua Essência Unificada e vivam, a cada momento, o infinito de que...
    SOMOS TODOS UM

    domingo, 7 de março de 2010

    MEUS AMIGOS: OS GATOS


    DEIXO AQUI UM SINGELO AVISO PARA QUEM VISITAR MINHA CASA:


    1- Lembre-se de que os gatos vivem aqui, você não!

    2- Se você não quer pêlo de gato em suas roupas, fique longe do sofá.

    3- Sim, eles têm alguns hábitos desagradáveis. Eu também, assim como você.E dái?

    4- É claro que eles cheiram como gatos.

    5- É da natureza deles cheirar você.Sinta-se à vontade para cheirá-los também.

    6- Eu gosto deles muito mais do que da maioria das pessoas, se você não quer fazer parte desse grupo de pessoas, respeite-os!!!

    7- Para você eles são apenas animais, para mim são filhos pequenos, que andam de quatro e não falam tão claramente. Eu não tenho problema com nenhum desses pontos. E você?
    "Quanto mais conheço os homens, mais estimo os animais". Alexandre Herculano

    Os Gatos e a Religião
    "Os animais dividem conosco o privilégio de terem uma alma". Pitágoras

    Muito embora não seja hoje em dia tão difundido, o culto aos animais espalhava-se outrora pelo mundo. Mesmo os deuses que não possuíam forma animal tinham um animal sagrado a eles dedicado, que os simbolizava. Entre estes animais, o gato foi um dos mais adorados, tanto por sua fecundidade quanto por seus hábitos noturnos, que o tornaram o guardião da noite, dos mortos, e dos mistérios da vida e da morte.
    Em diversas culturas da Antiguidade, em especial nas culturas orientais, o gato era considerado um guardião das almas dos mortos, detentor dos mistérios da vida e da morte, um condutor que as levava até o outro lado.
    Sob esta perspectiva, o gato era adorado como divindade, e reverenciado como animal de grande poder místico.

    "O gato imortal existe, em algum mundo intermediário entre a vida e a morte, observando e esperando, passivo até o momento em que o espírito humano se torna livre. Então, e somente então, ele irá liderar a alma até seu repouso final."
    ( The Mythology Of Cats, Gerald & Loretta Hausman )
    O Culto Egípcio

    No Egito dos faraós, o gato era adorado na figura da deusa Bastet, representada comumente com corpo de mulher e cabeça de gata ou em forma de uma gata preta. Esta bela deusa era o símbolo da luz, do calor e da energia. Era também o símbolo da lua, e acreditava-se que tinha o poder de fertilizar a terra e os homens, curar doenças e conduzir as almas dos mortos. Nesta época, os gatos eram considerados guardiões do outro mundo, e eram comuns em muitos amuletos.

    O Gato na Grécia

    Na Grécia clássica, o gato foi associado à feminilidade, ao amor e ao prazer sexual, atributos de Afrodite. Também foi associado à Artemis, a deusa da caça e da lua, da qual se dizia que teria escapado um perseguidor, Tiphon, transformada em gata.

    O Culto em Roma

    No Império Romano, o gato esteve ligado a várias deusas. Diana, a caçadora, governava a fecundidade e a lua, assim como Bastet, e uma lenda antiga atribui a ela a criação do gato. Também a sensual Vênus é representada como uma gata, uma encarnação de emoções maternas.

    O Gato na Babilônia
    Apesar de não haver culto ao gato, dizia um mito que o gato teria nascido do espirro de um leão. O leão, aliás, era um símbolo da realeza.

    O Gato na América Pré-Colombiana
    Na América, embora não houvessem gatos domésticos, os grandes felinos, como o puma e o jaguar, tiveram seu lugar no panteão dos deuses. O jaguar era símbolo de grande força e sabedoria, e acreditava-se que os curandeiros mortos transformassem-se neste animal.

    O Culto Celta

    Na cultura celta, a deusa Cerridwen tem um elo de ligação com o culto ao gato relativo à fecundidade através de seu filho Taliesin, que em uma de suas encarnações foi descrito como um gato com a cabeça sarapintada.

    O Culto Escandinavo

    Nas lendas nórdicas, aparece a deusa do submundo Freya, cuja carruagem era puxada por dois gatos, que representavam as qualidades da deusa, a fecundidade e a ferocidade. Estes gatos mostravam bem as facetas do gato doméstico, ao mesmo tempo afetuoso e terno, e feroz quando excitado. Os templos pagãos eram freqüentemente adornados com imagens de gatos. Na Finlândia, havia a crença em um trenó puxado por gatos que levava as almas dos mortos.

    O Gato no Islã
    Há uma série de contos associando os gatos ao profeta Maomé, a quem teriam inclusive salvo da morte, ao matar uma serpente que o atacava. Por causa desta associação entre o gato e o Islã, a Igreja Católica conseguiu tanto êxito ao relacionar o culto ao gato com as heresias e o demônio.

    O Gato no Budismo

    Nos cânones originais do budismo, o gato é excluído da lista de animais protegidos, devido ao fato de que, no momento da morte de Buda, quando todos os animais se reuniram para chorar seus restos, o gato haver não só mantido os olhos secos como comido tranqüilamente um rato, provando sua falta de respeito pelo acontecimento solene. Entretanto, apesar da lenda, o gato foi venerado pelos primeiros budistas por seu autodomínio e a tendência à meditação. Na China, estatuetas de gatos eram usadas para expulsar os maus espíritos, e havia dois tipos de gatos, os bons e os maus, que eram facilmente diferenciados porque os maus tinham duas caudas. No Japão, quando um gato morria, era enterrado no templo do dono, e no altar do mesmo era oferecido um gato semelhante, pintado ou esculpido, para garantir ao dono tranquilidade e boa sorte durante sua vida.

    O Gato e o Judaísmo

    No Talmude, o gato só aparece cerca de 500 d.C., quando o livro sagrado louva brevemente seu asseio. Entretanto, uma antiga lenda hebraica conta que o gato teria sido criado em plena Arca, quando Noé, em desespero porque os ratos estavam se multiplicando e devorando todas as provisões, implorou à Deus que lhe enviasse uma solução. O gato então teria sido criado de um sopro do leão. Outra antiga lenda judaico-espanhola diz que Lilith, a primeira mulher de Adão, o teria deixado para se transformar em um vampiro, que sob o aspecto de um gato preto, atacava bebês adormecidos e indefesos e lhes sugava o sangue.

    O Gato e o Cristianismo

    A Igreja , no início de sua história, adotou alguns símbolos pagãos e rejeitou outros. Assim, Jesus se tornou "O Leão de Judá", e a serpente a égide do mal.
    Na seita dos coptas, surgida por volta do século I d.C., havia no evangelho gatos que julgavam os homens após a morte.A primitiva Igreja celta associou vários santos às tradições pagãs e ao culto ao gato.
    Santa Gertrudes de Nivelles, por exemplo, é representada sempre com um gato, e, na França, dizia-se que Santa Ágata transformava-se em um gato enfurecido para punir os infiéis.
    Na Idade Média, entretanto, a imagem do gato começou a mudar. No século V, os gnósticos, que atribuíam igual importância a Jesus, Buda e Zoroastro, foram acusados de adorar o demônio na figura de um gato preto.
    No ano de 1232, o papa Gregório IX funda a Santa Inquisição, com o intuito de descobrir heréticos que cultuavam o demônio, novamente na figura de um gato preto, macho.
    Em 1344, surge na França, o culto de São Vito, em Metz, queimando vivos anualmente 13 gatos em uma gaiola. Quando a Peste Negra atacou a Europa, dizimando quase um terço da população, inicialmente os gatos foram considerados culpados e perseguidos, ordenando-se a sua destruição.
    A associação da figura do gato ao culto ao demônio levou inevitavelmente à sua vinculação à feitiçaria e às artes mágicas.
    No século XV, na Alemanha, ressurgem cultos pagãos como o da deusa Freya. Em 1484, o Papa Inocêncio VIII difunde a crença de que as feiticeiras veneravam Satanás encarnado em gato. Por toda a Europa, pessoas inocentes foram torturadas em nome de Deus. E, com elas, seus gatos.
    Em Ypres, na França, centenas de gatos eram atirados do alto de um campanário em um festival anual. Milhares de gatos foram sacrificados em rituais durante a Páscoa. A perseguição chegou até mesmo à América, quando, em 1692, várias pessoas foram executadas em Salem, no estado de Massachusetts. Entretanto, mesmo nestes tempos inglórios, os gatos foram também companheiros amados em alguns países, como na Rússia, onde eram comuns serem encontrados em conventos e mosteiros.
    O Cardeal Richelieu possuía vários gatos, entre eles um angorá preto chamado Lúcifer. No sul da França, corria a lenda dos gatos mágicos chamados matagots, que traziam fortuna e sorte a quem os acolhia e amava. Com o passar do tempo, a perseguição foi recrudescendo, e a importância dos gatos como controladores dos roedores foi reconhecido. No século XVIII, são abolidas as leis sobre a feitiçaria, e até mesmo o Papa Pio IX rendeu-se aos seus encantos.

    Fonte: Planeta Gato
    "O menor dos felinos é uma obra-prima". Leonardo da Vinci






    GATOS CURAM?
    (PALESTRA DA CRISTINA CAIRO)

    O gato é um animal que tem muito quartzo na glândula pineal, é portanto um transmutador de energia e um animal útil para cura, pois capta a energia ruim do ambiente e transforma em energia boa, normalmente onde o gato deita com frequência, significa que não tem boa, caso o animal comece a deitar em alguma parte de nosso corpo de forma insistente, é sinal de que aquele orgão ou membro está doente ou prestes a adoecer, pois o bicho já percebeu a energia ruim no referido orgão e então ele escolhe deitar nesta parte do corpo para limpar a energia ruim que tem ali.
    Ela ainda observa que do mesmo jeito que o gato deita em determinado lugar, ele sai de repente, poi ele sente que já limpou a energia do local e não precisa mais dele.
    Ela ainda diz na palestra que o amor do gato pelo dono é de desapego, pois enquanto precisa ele está por perto, quando não, ele se a afasta. 


    O MISTÉRIO DOS FELINOS (CRISTINA CAIRO)

    O gato é capaz de provocar os mais diversos sentimentos no ser humano. Certamente, quem não gosta de gatos é porque nunca teve o prazer de conviver com um deles. Gostaria que todos lessem esse artigo inteligentemente escrito por "Artur da Távola". Quem gosta de gatos irá se identificar muito com o texto e quem não gosta.... bem, quem não gosta, a gente apenas lamenta...
    "Existem duas maneiras de nos refugiarmos das misérias da vida: música e gatos". Albert Schweizer



    "ODE AO GATO"
    Artur da Távola.
    "Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mais inquietantes, talvez por isso. Nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece. O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência.
    O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis. Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu. Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado? Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo?
    Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive à custa dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele depende, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso. "Falso" porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser.
    O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige. Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano, mas se comporta como um lorde inglês.
    Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago.
    A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.
    O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode, ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós. Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe "ler" pensa que "ele" não está ali. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.
    O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluídos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é medium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado.
    O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas. O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção.
    Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato! Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.
    O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo. Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones. Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.
    O gato é uma chance de interiorização e sabedoria, posta pelo mistério à disposição do homem."

    "Já estudei muitos filósofos e muitos gatos. A sabedoria dos gatos é infinitamente superior".
    Hippolyte Taine

    DAS QUALIDADES DOS GATOS.
    (Autoria Desconhecida)

    Quando Deus fez o mundo, escolheu enchê-lo de animais, e decidiu dar uma qualidade especial para cada um.

    Todos os animais formaram diante Dele uma longa fila, e o gato, calmamente, foi para o fim da fila.

    Deus deu ao elefante e ao urso a Força, ao coelho e ao cervo a Velocidade, a Sabedoria à coruja, Beleza aos pássaros e borboletas, Esperteza para a raposa, Inteligência para o macaco, Lealdade para o cão, Coragem para o leão, Alegria para a lontra... Todas estas coisas os animais haviam pedido para ter.

    Afinal, ao fim da fila, o pequeno gato sentou-se e esperou paciente.
    Deus perguntou-lhe:

    - O que terá você ?

    Ao que o gato encolheu os ombros e respondeu:

    - Qualquer coisa me servirá. Eu não ligo.

    E Deus disse:

    - Mas eu sou Deus ! Quero lhe dar algo especial !

    E o gato, espertamente, respondeu:

    - Então me dê um pouco de tudo, por favor !

    E Deus, rindo-se da enorme inteligência do animal, deu para o gato a soma de todas as qualidades dos animais, mais a graça e a elegância, e um gentil ronronar, para que ele sempre atraísse os homens e conquistasse seus lares.

    KITTENS
    REGRAS DE ETIQUETA PARA GATOS INEXPERIENTES
    (Autoria Desconhecida)
    1) Se você tiver que vomitar, pule rapidamente no sofá. Se o sofá estiver longe demais, procure um bom tapete.
    2) Determine logo qual é a visita que detesta gatos, e sente no colo dela durante toda a noitada. Ela não terá coragem de empurrá-lo para o chão, e pode ser até que venha a dizer "Gatinho bonito!". Se você estiver com bafo de comida de gato, melhor ainda.
    3) Para sentar no colo ou se esfregar em perna de gente usando calça comprida, escolha, de preferência, cores contrastantes com as suas.
    4) Acompanhe, sempre, as visitas que vão ao banheiro. Não é necessário fazer nada. Basta sentar e ficar olhando.
    5) Trate as visitas que digam "Adoro gatos!" com total desprezo, e esteja pronto a unhar suas meias ou, eventualmente, morder seus calcanhares.
    6) Não permita portas fechadas em cômodo algum. Para abrir uma porta, apóie-se nas patas traseiras e bata nela com toda força que tiver nas dianteiras. Quando a porta for finalmente aberta para você, não é necessário usá-la; você pode mudar de idéia tranqüilamente. Quando você ordenar a abertura de uma porta que dê para fora, pare exatamente no meio do caminho, entre a porta e o vão, e aproveita para pensar sobre diversas coisas. Isso é particularmente importante em noites muito frias, e em épocas de mosquitos.
    7) Se uma pessoa estiver ocupada e outra à toa, fique com a ocupada. Se alguém estiver lendo, chegue bem perto, e dê um jeitinho de meter o focinho entre o livro e a cara da pessoa. Desconsidere isso em casos de leitores que abrem livros ou jornais em cima da mesa; aí, basta deitar em cima do que estiver sendo lido.
    8) Se algum dia encontrar uma senhora tricotando, suba no colo dela e deite. De repente, estique a pata e, como quem não quer nada, dê um bom tranco nas agulhas. Observe os acontecimentos: isso se chama perder o fio da meada, e a senhora tentará atrair sua atenção para outras partes da casa. Ignore-a.
    9) Quando encontrar alguém fazendo o dever de casa, sente-se na folha de papel que estiver sendo trabalhada. Depois de ter sido removido de lá pela terceira vez, vá para outro canto da mesa e empurre tudo que se mexa: lápis, cola, tesoura e o que mais houver.
    10) Durma bem durante o dia para estar novo em folha, e pronto para brincadeiras entre 2 e 4 horas da manhã. Se seu humano trabalhar durante a noite, modifique seus hábitos de sono para poder estar com a corda toda entre as 10h e o meio-dia.

    "Gato que brinca na rua - Como se fosse na cama, - Invejo a sorte que é tua - Porque nem sorte se chama".
    Fernando Pessoa


    Eu fecho meu livro “O Significado do Zen” e vejo o gato sorrindo para sua pele, e penteando-a cuidadosamente com sua língua cor de rosa e áspera.
    "Gato, eu gostaria de te emprestar este livro, mas parece que tu já o leste".
    Ele me olha com seu olhar penetrante, e ronrona: "Não seja ridículo... Fui eu que escrevi!"
    (Texto de: Dilys Laing)

    "É apenas com o coração que se pode ver direito; o essencial é invisível aos olhos".
    Antoine de Saint-Exupéry

    -Site sobre "comportamento" dos gatos:

    "Se você for merecedor de sua afeição, um gato será seu amigo, mas nunca seu escravo".
    Theophile Gautier

    "Um gato vive um pouco nas poltronas, no cimento ao sol, no telhado sob a lua. Vive também sobre a mesa do escritório, e o salto preciso que ele dá para atingi-la é mais do que impulso para a cultura. É o movimento civilizado de um organismo plenamente ajustado às leis físicas, e que não carece de suplemento de informação. Livros e papéis, beneficiam-se com a sua presteza austera. Mais do que a coruja, o gato é símbolo e guardião da vida intelectual."
    Carlos Drummond de Andrade

    -Site sobre "Saúde e Comportamento":
    Dra. Estela Pazos (veterinária e especialista em gatos)

    "Os gatos foram colocados no mundo para acabar com o dogma de que todas as coisas foram criadas para servir o homem".
    Paul Gray





    Para todos nós, amantes de gatos....(o termo correto para nos definir
    é "Ailurófilos")


    O gato é uma maquininha
    que a natureza inventou;
    tem pêlo, bigode, unhas
    e dentro tem um motor.
    Mas um motor diferente
    desses que tem nos bonecos
    porque o motor do gato
    não é um motor elétrico.
    É um motor afetivo
    que bate em seu coração
    por isso ele faz ronron
    para mostrar gratidão.
    No passado se dizia
    que esse ronron tão doce
    era causa de alergia
    pra quem sofria de tosse.
    Tudo bobagem, despeito,
    calúnias contra o bichinho:
    esse ronron em seu peito
    não é doença - é carinho.

    (texto de: Ferreira Gullar)



    DIFERENÇAS ENTRE CÃES E GATOS...
    Um CACHORRO pensaria assim:
    "Meu dono cuida de mim, me alimenta, me escova, me leva para passear, me leva ao veterinário, me afaga, me agrada, me ama...ELE é um deus!"
    Um GATO pensaria assim:
    "Meu dono cuida de mim, me alimenta, me escova, me leva ao veterinário, me afaga, me agrada, me ama...
    EU sou um deus!''

     
    O GATO
    (Vinícius de Moraes)
    Com um lindo salto
    Lesto e seguro
    O gato passa
    Do chão ao muro
    Logo mudando
    De opinião
    Passa de novo
    Do muro ao chão
    E pega corre
    Bem de mansinho
    Atrás de um pobre
    De um passarinho
    Súbito, pára
    Como assombrado
    Depois dispara
    Pula de lado
    E quando tudo
    Se lhe fatiga
    Toma o seu banho
    Passando a língua
    Pela barriga.
    Nikolas
    "Como qualquer um que já passou muito tempo com os gatos já sabe, os gatos têm enorme paciência com as limitações da mente humana.”
    Cleveland Amory








    OS OLHOS DE BASTET
    "O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba receber." (Artur da Távola)