sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

QUER SER LINKADO(A)? DEIXE O ENDEREÇO DO SEU BLOG AQUI!!!



Para quem quiser fazer troca de links, deixe o endereço do seu blog nos comentários desse post! Te adicionarei e passarei a fazer visitas em seu blog com o maior prazer e sem nenhum esforço! rs
E para organização do blog e das interessadas, os comentários das peças postadas serão excluídos. A não ser aqueles que ainda estejam em negociação.
Beijos!
Gisele!!!

PS: PODEM DEIXAR O ENDEREÇO DE VOCÊS QUE ESTOU LINKANDO! MESMO QUE EU NÃO CONFIRME... É SÓ CONFERIR NA MINHA LISTA DEPOIS!
BEIJOOOS!

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2009

PORQUE SE AUTO-CONHECER?


PORQUE SE AUTO-CONHECER?

Nossa auto-estima é um pouco insconstante e varia de acordo com as situações e principalmente de acordo como nos sentimos em relação a cada um delas. Mas de vez em quando nos perguntamos o seguinte, o que faz com que algumas pessoas sejam mais seguras de si, mais estáveis emocionalmente enquanto outras se perdem, se desesperam quando algo acontece? Interessante isso não? E mais, qual é o diferencial que faz com que cada um consiga ter controle sob suas emoções? Oras, é muito mais complicado que pensamos, embora a resposta seja bem simples: o autoconhecimento.


Diga-me então, o quanto você se conhece? Muito? Pouco? Pois bem, a maior parte das pessoas acredita que se conhece, mas na verdade se conhece sim, mas muito pouco. Então diga, você amaria alguém, confiriaa em alguém que pouco conhece? Geralmente amamos e confiamos apenas em quem conhecemos muito! E se você não se conhece como quer acreditar mais em sua própria capacidade? Como quer ir em busca de seus sonhos se não acredita ser capaz? E por que não acredita ser capaz? Obvio, é porque você não sabe quem você é.


Por isso, o autoconhecimento é fundamental para desenvolver o amor por si mesmo e fortalecer a auto-estima. É muito difícil alguém se conhecer interiormente quando a busca está sempre no externo. Normalmente as pessoas buscam cuidar da pele, mudar o corte do cabelo, comprar roupas, carros, eliminar alguns quilinhos, mas quase sempre esquecem que o caminho deve ser o contrário, de dentro para fora. Humm... complicou?
Quando uma pessoa está bem com ela mesma você percebe isso, sente isso. Isso não é sentido por causa de uma roupa que está usando ou o carro que está dirigindo, mas pelo brilho em seu olhar, o sorriso em seu rosto, a paz em seu espírito. Como alguém que dorme mal toda noite pode sentir paz? Como alguém que está constantemente se criticando, se culpando, se achando errada(o), pode se amar? Amar-se é condição básica para elevar a auto-estima. É importante identificar os fatores que estão te impedindo de elevar sua auto-estima. O autoconhecimento é fundamental para desenvolver o amor por si mesmo(a) e fortalecer a sua auto-estima.

E como percebemos quando a uto-estima esta baixa? Bom, principalmente quando desenvolvemos algumas características como: insegurança, inadequação, perfeccionismo, dúvidas constantes, incerteza do que se é, sentimento vago de não ser capaz, de não conseguir realizar nada, não se permitindo errar e com muita necessidade de agradar, ser aprovado(a), reconhecido(a) pelo que faz e nem sempre pelo que é!
Se você identificou algumas dessas características, pode ser que esteja precisando aumentar seu autoconhecimento para assim elevar sua auto-estima, ok?
Bom, separei alguns exercícios simples que você pode fazer para começar a elevar sua auto-estima. Vamos lá?

- Escreva dez coisas que você gosta em si mesmo(a).
- Depois escreva dez coisas que você não gosta em si mesmo(a) ou que gostaria de mudar.
- Qual lista foi mais fácil de completar?

A maioria das pessoas sente mais facilidade em identificar as coisas negativas. Aprendemos que dizer aquilo que gostamos em nós mesmas poderá ser rotulado de presunção, esnobismo, egocentrismo. Nada disso! Para aumentar o autoconhecimento é preciso ter consciência de quem se é de verdade, avaliando os pontos positivos tanto quanto os negativos, pois só assim será capaz de mudar aquilo que te incomoda ou te faz sofrer e valorizar o que tem de bom e que geralmente mergulhada em tantas críticas e cobranças, acaba por esquecer.

Bom, então continue o exercício:

- Observe as listas. Coloque um “i” nas características internas, ou seja, que dependam apenas de você reconhecê-las. E um “e” nas características externas, que dependam da opinião de outras pessoas.

- Ao fazer o sinal (i ou e), o que você percebe? Há um equilíbrio entre eles ou você tende mais para um lado?

Se você tem mais características externas ficará mais vulnerável à opinião dos outros e assim, mais facilmente manipulável. Dependerá cada vez mais de aprovação, mas infelizmente nunca da sua própria. Isso quer dizer que toda vez que algo que dependa no mundo externo ou de outras pessoas não correspondam a sua expectativa, você se sentirá frustrada e sua auto-estima tenderá a baixar.

Seu valor estará sempre na dependência do que dirão sobre você, não importando muito sua própria opinião. Por exemplo, quando você perde o emprego, quando recebe uma crítica, quando alguém se distancia de você. Tudo isso pode baixar sua auto-estima e se sentirá incapaz de continuar e desistirá no meio do caminho. Abandonam assim seus sonhos, seus objetivos.

Para aumentar o autoconhecimento é preciso ter consciência de quem se é de verdade, avaliando os pontos positivos tanto quanto os negativos.

Isso acontece quando a principal fonte de auto-estima está naquilo que faz pelo externo, sempre querendo fazer algo para as pessoas em busca de aprovação e reconhecimento. E esse é o caminho mais curto para se machucar. Coloca assim todo seu valor nas opiniões ou respostas no mundo externo e, como quase sempre nada disso corresponde ao que espera, e nem ao que você é realmente, se permite depender cada vez mais de como te avaliam, gerando um círculo vicioso.



O importante é desenvolver a capacidade e ter a consciência de saber que o que faz é o reflexo de quem você é. Ao reconhecer seus pontos negativos, poderá mudar um por um. E reconhecendo seus pontos positivos se sentirá mais confiante em sua capacidade de conseguir o que quer que deseje, independente das críticas ou opiniões que terão sobre você, pois acredita ser capaz de conseguir tudo o que deseja! E ainda que ninguém te aprove, você terá autoconhecimento suficiente para você mesma se aprovar e principalmente se amar!

SEJA MAIS FELIZ!

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

PRÊMIO DARDOS

Copie o link da imagem e cole em seu blog


Com o Prêmio Dardos se reconhecem os valores que cada blogueiro emprega ao transmitir valores culturais, éticos, literários, pessoais, etc. que, em suma, demonstram sua criatividade através do pensamento vivo que está e permanece intacto entre suas letras, entre suas palavras. Esses selos foram criados com a intenção de promover a confraternização entre os blogueiros, uma forma de demonstrar carinho e reconhecimento por um trabalho que agregue valor à Web.

Quem recebe o “Prêmio Dardos” e o aceita deve seguir algumas regras:
1. exibir a distinta imagem
2. linkar o blog pelo qual recebeu o prêmio.
3. escolher quinze (15) outros blogs aos quais entregar o “Prêmio Dardos”

Recebi o selo Prêmio Dardos da Babi Guerreiro dona do blog:

A Guerreira Interior.

Abaixo a minha lista de blogues para o Prêmio Dardos:

http://portrasdovel.blogspot.com
http://dancando-no-ar.blogspot.com
http://magiadosdeuses.blogspot.com
http://desvendar-ladynada.blogspot.com
http://espacoluzazul.blogspot.com
http://karinafainascki.blogspot.com
http://www.triboholusage.blogspot.com
http://csspadroes.blogspot.com
http://helowiza.blogspot.com
http://livro-esoterico.blogspot.com
http://namastegolega.blogspot.com
http://cursocuraplanetaria.blogspot.com
http://somososunicosnouniverso.blogspot.com
http://cura-multidimensional-ascensao.blogspot.com
http://annaleao.blogspot.com

Parabéns a todos!

Gisele

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

WORKSHOP: DINHEIRO TRAZ FELICIDADE SIM!


O ESPAÇO LADY NADA

TRAZ PARA ESTE FIM DE SEMANA UM WORKSHOP ENRIQUECEDOR:

"DINHEIRO TRAZ FELICIDADE SIM!"



Preparamos um evento especial para este fim de semana! Venha conferir o workshop: "A riqueza traz felicidade sim!" Você provavelmente já ouviu nas seguintes afirmações:

"Dinheiro não dá em arvore!"




"É mais fácil um camelo passar pelo buraco de uma agulha do que um rico entrar no reino dos céus!"


"Para ficar rico tem que ser desonesto!"


"Deus só abençoa os humildes!"


"Dinheiro não é capim!" "Quem muito quer nada tem!"


Essas e tantas outras crenças que nos foram passadas em algum momento da nossa vida podem estar afetando o modo como você vê e lida com o seu dinheiro.


Neste workshop, esses temas serão abordados, tratados e redefinidos através de técnicas de psicodrama, indução, reprogramação mental e técnicas bioenergéticas.


Venha ser rico, sem culpa!



Dia 22/02 Domingo de Carnaval: das 15 às 18 horas Valor do investimento: R$ 50,00 Facilitadoras: Catherine Riera, Psicóloga e Simone Araujo, Terapeuta Integrativa Bioenergética

LOCAL: Rua Azevedo Soares, 1773 – Tatuapé (entre a Mont Serrat e a Francisco Marengo) São Paulo / SP Proximo a Estação Carrão do Metrô 2092-2388 / 7514-6543 / 2478-1773

domingo, 15 de fevereiro de 2009

VAMPIRISMO ENERGÉTICO - PSYVAMPS

VAMPIROS ENERGÉTICOS

Você já teve a sensação de cansaço inexplicável após estar perto de alguém? Alguma vez você já percebeu que se sente fraco quando conversa com alguém desanimado? Pois é, muitas pessoas passam por situações em que são vampirizadas e nem se dão conta. A parapsicologia chama o fenômeno de "psyvamp" (um termo que tradizido do inglês pode significar "vampiro psíquico").
Os psyvamps são pessoas que absorvem as energias vitais de quem encontra ao redor. Geralmente são pessoas depressivas, carentes de energia, que tentam reparar a deficiência energética sugando a energia alheia. O fenômeno explica o fato de nos sentirmos "enfraquecidos" após entrar em contato com algumas pessoas com carência energética.
Popularmente os psyvamps são conhecidos como "olhos-maus", "olhos-grandes" ou simplesmente "invejosos" . Muitos vampiros energéticos nem tem a consciência da própria carência energética e acabam "vampirizando" as pessoas inconscientemente. Também existem aqueles que "vampirizam" propositadamente, tentam enfraquecer e roubar as energias de pessoas com quem mantem contato; esses tipos de psyvamps que agem conscientemente são geralmente pessoas invejosas, pessimistas e egoístas.
Para evitar ter sua energia roubada por um vampiro psíquico, preste atenção as dicas a seguir!

Geralmente os vampiros psíquicos gostam de conversar tocando no corpo da "vítima", a maioria pega no braço, nos pulsos ou nos ombros para absorver os fluidos energéticos da pessoa. Sempre que você perceber que alguém estiver lhe segurando durante uma conversa, olhe nos olhos da pessoa e dê um passo para trás, essa atitude impedirá o processo de vampirização.

Procure andar sempre com um amuleto para se proteger contra esse tipo de ataque espiritual (que é mais comum do que se possa pensar!); pode ser um dente de alho, um

Quando perceber que se sente enfraquecido ao chegar perto de alguém, afaste-se da pessoa e procure mentalizar um escudo de energia ao seu redor, isso lhe ajudará a se proteger.


Vampiros existem e suas legiões são enormes.

Há vampiros de toda forma: astrais e encarnados. Mas aqui vou falar dos encarnados que servem de canal e pasto para os do astral. Um vampiro é um desalmado, e o que isto quer dizer? Os recursos de sua alma são quase que nulos, sendo assim, conscientes ou inconscientes, são como sanguessugas da energia vital, na maioria canais de abastecimento para vampiros astrais, principalmente larvas astrais. Como foi dito anteriormente, para detectar um vampiro energético basta estar com os sentidos atentos. Ele se aproxima da sua vitima manhosamente de maneira cordial e adulatória, passado alguns minutos a vítima sente-se fraca exaurida em suas energias vitais. O vampiro sente-se novamente energizado, com as baterias recarregadas para esbanjar e servir o banquete aos vampiros e larvas astrais. Quando o vampiro percebe que sua vitima não cai ou tem um mecanismo de defesa próprio, então parte para a agressão verbal e gestual, afim de romper tal mecanismo de defesa com o intuito de obter uma carga rápida de energia vital. A vítima desatenta, após, sente-se exaurir e entra em colapso nervoso. Depois que se recompõe fica sem entender porque motivo foi agredida.O único motivo foi à fome selvagem do vampiro. Este tipo de vampirismo energético é muito comum. Mas há vários tipos. Mais interessante ainda são os vampiros cuja força necessária ao desenvolvimento de sua personalidade não é o bastante para a finalidade almejada. Assiste-se, então, à utilização de toda sorte de expedientes sob a forma do que se denomina super compensação, isto é, uma forma exagerada de certas propriedades e aptidões destinadas a enganar os que o cercam relativamente ao seu valor e a servir de protetor à sua fraqueza psíquica. São as simulações dos medíocres, incapazes e deficientes mentais, recurso astucioso e suplementar de defesa ou "talento" dos impotentes para não sucumbir na luta de competição. O intuito principal é sempre de ordem utilitária, tirar proveito, encontrar um ponto vulnerável de quem deseja tirar vantagem.Este ponto é a piedade, empanada pelo sentimentalismo ingênuo, pela credulidade, pelo sentimento de filantropia ou de solidariedade social. Neste sentido simulam miséria, invalidez, perturbações físicas, psíquicas ou mentais. Existem, ao contrário, os que "simulam saúde" para serem admitidos ou conservados em empregos e para não perderem prestígio em situações compensadoras. Todos os tipos de vampiros utilizam a simulação para vencer a própria impotência. Alguns têm inteligência e conseguem enganar. A maioria, porém, põe à mostra a manobra astuciosa. Os vampiros de "talento" são sempre insatisfeitos, não podem suportar a própria impotência em todos os sentidos e tudo fazem para ser algo entre os que o são de fato. Em grau menos pronunciado, verifica-se o vampirismo das mulheres que tiranizam seus maridos com crises de lágrimas; os vampiros, os jeremiadas de preguiçosos que "chora miséria" para obter as graças altruísticas dos simplórios caritativos; as explosões de cólera de vampiros, crianças e adolescentes que por esse meio governam os pais; os vampiros excessivamente inflacionados que acham que a sociedade foi feita única e exclusivamente para servi-lo como escravos, os vampiros buracos negros, são os mais desalmados, que sugam tudo o que podem, ou melhor, roubam, pois são tão débeis em todos os sentidos que acham que tudo que foi criado pelo trabalho individual e coletivo, em todos os sentidos está aí para ser roubado por qualquer meio dissimulado. Todo vampiro é um autoexcluido do sistema universal das trocas justas. Portanto tem que tomar pela força ou pela dissimulação sutil os objetos de seus desejos, inclusive a energia vital alheia (o sangue) para se manter vivo. O vampiro é o produto das aberrações humanas, é um ser doente, bizarro, desalmado, extremamente anti-social, individualmente e coletivamente. O negro de sua capa representa a sua capacidade de dissimulação para ocultar o vermelho sombrio de seus ressentimentos infinitamente odientos. Suas vítimas são pessoas inocentes, tolas, incultas em relação as ciências psíquicas, mal preparadas e fracas que dão o "pescoço" para serem sugadas e por contaminação e influenciação tornarem-se tambem vampiros. A mitologia vampiresca é denúncia velada de grave doença psico-social. Assim, só não percebe vampiros quem não quer, ou não tem olhos de ver... Há mais coisas ocultas do que se possa imaginar.

Mais sobre o assunto em outras postagens mais recentes de maio/2010


sexta-feira, 13 de fevereiro de 2009

Fogo, água, terra, ar: Qual dessas forças predomina em voce?



Fogo, água, terra, ar: Qual dessas forças predomina em voce?

site: Bons Fluidos. Ed. Abril
Os quatro elementos da natureza estão em todas as coisas que nos rodeiam e têm o poder de dar o tom de nosso temperamento, despertando emoções como alegria, serenidade, inquietude e ansiedade. Descubra qual elemento predomina em sua personalidade e as práticas que levam ao equilíbrio.

Assim como rios, montanhas, nuvens, plantas e animais, também a natureza humana é formada pela união dos quatro elementos. E não apenas em nível físico (oxigênio, calor, minerais e fluidos corporais são necessários para a vida): nossas emoções e nossa personalidade são influenciadas pela presença de fogo, terra, água e ar, em diferentes proporções.

Os versos “No meio do caminho tinha uma pedra/ Tinha uma pedra no meio do caminho”, do poeta Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), ajudam a entender os tons de nossas atitudes. Face ao caminho bloqueado, algumas pessoas se lançam contra a pedra para esmurrá-la (são os chamados coléricos, sob o efeito do elemento fogo), enquanto outras imediatamente pulam o obstáculo, como se ele não existisse (caso dos sanguíneos, predominantemente influenciados pelo elemento ar). Outros param, sentam e ficam adiando a decisão do que fazer para contornar o obstáculo: são os fleumáticos, regidos pela água. Há os que, por fim, não se contêm, apenas choram e lamentam a situação – os chamados melancólicos, sob efeito do elemento terra.

O fogo líquido
Foi o filósofo grego Empédocles que estabeleceu a relação do organismo com os elementos. Para fazer a divisão, tomou como ponto de partida a circulação da bile, uma secreção produzida pelo fígado, considerada pelos antigos o principal humor (líquido) do organismo, ao lado do sangue.

Por causa de sua função no processo digestivo – derreter gorduras –, a bile (chamada de chole em grego) era vista como um fogo líquido. Quando circulava vigorosamente pelo corpo, a chole tornava a pessoa colérica, ardente como uma chama. Se apresentasse uma consistência mais líquida, a bile deixava a pessoa fleumática, adaptável como a água (flegma, em grego). A presença da chamada bile negra (mela), terrosa, caracterizava o tipo melancólico. Finalmente, ao circular com a rapidez do sangue, a bile colocava o indivíduo no tipo sanguíneo, inquieto como o ar.

Estágios da evolução

No começo do século 20, o médico austríaco Rudolf Steiner (1861-1925) recuperou o conhecimento sobre os temperamentos e o relacionou a estágios da evolução espiritual. Esse é um dos pilares da antroposofia, ciência holística que enxerga o homem como um todo, considerando corpo, mente e espírito intrinsecamente ligados. Hoje, o estudo de Steiner sobre os temperamentos é parte fundamental de diagnósticos médicos e psicológicos na linha antroposófica.

“Todos temos características dos quatro elementos, mas há a tendência de um deles predominar na personalidade”, diz Moacir Amaral, clínico geral antroposófico com prática de psiquiatria e terapia transpessoal, de São Paulo. O fogo é oposto à água e o ar faz o contraponto à terra. “Alguém com tendência à personalidade de fogo, por exemplo, exibe poucos traços do tipo água, mas apresenta características de ar e terra”, explica o médico Samir Rahme, clínico geral antroposófico, também de São Paulo.

Não basta conhecer em que tipo de personalidade nos enquadramos. É preciso alimentar nosso elemento predominante e cultivar características dos outros três. Para alcançar o bem-estar físico, mental e emocional, o ideal é que os quatro elementos estejam em equilíbrio – como acontece na natureza. A seguir, descubra seu temperamento e conheça as atividades que harmonizam os elementos, segundo os especialistas.


Fogo
• Temperamento: colérico.

• Emoções: alegria, impulsividade, raiva.

• Aparência:
o colérico tem uma constituição física sólida e compacta, com músculos fortes. Com postura ereta, caminha a passos firmes e decididos. Sua estatura geralmente é mais para baixa, e os olhos são penetrantes e transmitem segurança.

• Características: ousado e dinâmico, encara a vida com paixão. Batalha pelo que quer e persegue suas metas com autoconfiança e otimismo. Um verdadeiro pioneiro, sabe abrir caminhos e exercer a liderança. Com humor oscilante, tende a ser explosivo e autoritário e a não aceitar bem as críticas. Sempre aberto ao mundo exterior, sente dificuldade em se interiorizar e compreender as próprias emoções.

• Práticas que fazem bem: a natação e os banhos em águas plácidas, como piscinas e lagoas, sintonizam o colérico com seu elemento faltante, a água. As artes marciais que envolvem a luta com oponentes, a exemplo do judô e do caratê, e a escultura em materiais duros, como a pedra, são meios para extravasar sua força. Os banhos de sol o ajudam a recuperar a vitalidade e a repor a energia gasta.

A personalidade de fogo pede movimento.

Água

• Temperamento:
fleumático.

• Emoções: tranqüilidade, indiferença, mágoa.

• Aparência: seu tipo físico não é muito definido. Pode ter uma estatura alta ou baixa, mas tem a tendência a acumular peso. Seu olhar cândido, inocente e sem malícia provoca nos outros uma imediata empatia.

• Características:
sensível e emotivo, é adaptável, como o meio líquido, e não gosta de demonstrar sentimentos. O fleumático prefere levar a vida num ritmo calmo e disciplinado e tem fortes inclinações artísticas. De tão apegado à rotina, porém, sente dificuldade em aceitar mudanças e tende à estagnação, até emocionalmente, como acontece com as águas represadas. Gosta da passividade e mostra pouca disposição para ir atrás de seus objetivos.

• Práticas que fazem bem: tai chi chuan, arte marcial em que os movimentos sugerem formas, e fazer esculturas de argila são atividades ideais para o fleumático começar a atenuar a dificuldade de lidar com o lado concreto e os aspectos materiais da vida. Banhos de mar e cachoeira têm um poder restaurador sobre sua energia física e capacidade mental.

A de água prefere levar a vida em um ritmo calmo e disciplinado

Terra

• Temperamento:
melancólico.

• Emoções:
serenidade, apatia, depressão.

• Aparência:
de tipo predominantemente magro e longilíneo, tem pernas e braços compridos, pele clara e olhos profundos. O jeito de caminhar do melancólico é firme, mas um tanto pesado.

• Características:
responsável e perfeccionista, com um enorme poder de realização, sabe levar suas empreitadas até o fim. A seriedade com que conduz suas metas e a profundidade de seu pensamento levam o melancólico a conquistar facilmente a confiança dos outros. Mas, para alcançar o sucesso, precisa fortalecer a vontade. Seu coração é cheio de compaixão e interesse pela dor alheia. O pessimismo e a falta de humor podem atrapalhar suas relações.

• Práticas que fazem bem:
dança, exercícios aeróbicos e esportes que favoreçam tirar os pés do chão ajudam o melancólico a desenvolver a leveza. A pintura, especialmente usando técnicas suaves, como a aquarela, abranda sua tradicional dureza. Em momentos de falta de vitalidade, andar descalço, pisar na terra e mexer com plantas recarregam as energias.

Plantar e cultivar metas é uma marca do temperamento de terra.

Ar

• Temperamento:
sanguíneo.

• Emoções: extroversão, inquietude, ansiedade.

• Aparência:
o tipo sanguíneo movimenta-se com graça e nutre uma boa relação com seu corpo, que tende a ser esbelto e flexível, de estatura alta. Seu olhar é vivo e expressivo, e seus olhos, brilhantes.

• Características: dono de um espírito inquieto e mente ágil, o sanguíneo cativa a todos por sua alegria e facilidade de comunicação. Versátil e eclético, cultiva um vasto leque de interesses. Dar tanta ênfase ao intelecto, entretanto, pode esgotá-lo física e mentalmente. A dificuldade em se concentrar e se aprofundar também pode levá-lo à falta de foco e à superficialidade nas relações.

• Práticas que fazem bem:
a meditação, a ginástica holística e a ioga são atividades que conduzem o tipo sanguíneo a um mergulho em seus processos internos para contrabalançar a tendência a flutuar e viver plenamente apenas no mundo exterior. Trabalhos manuais, como a tecelagem, são úteis no desenvolvimento da concentração. A modelagem em argila e a jardinagem também fazem aterrar os filhos do elemento ar

Já os filhos do elemento ar voam como o pensamento


Texto: Wilson F. D. Weigl
Foto: Gustavo Lacerda/
Reportagem Fotográfica: Camile Comandini

Créditos da reportagem ao site: BONS FLUIDOS!

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

AURICULOPUNTURA / AURICULOTERAPIA


A palavra Auriculoterapia vem do termo aurículo (orelha) + terapia (tratamento), ou seja tratamento a

través da orelha. Mais concretamente, a Auriculopuntura é a técnica de estimular pontos reflexos presentes no pavilhão auricular a fim de restabelecer a saúde do organismo. A estimulação pode ser feita através de agulhas, electroestimulador e aplicação de pequenas sementes (normalmente de mostarda) em determinados pontos.

A Auriculopuntura baseia-se em princípios distintos da reflexologia (apesar de muitas semelhanças), associados ao conhecimento dos meridianos trabalhados pela medicina tradicional chinesa. O conjunto de nervos do pavilhão auricular conecta-o ao Sistema Nervoso Central e faz com que estímulos na orelha resultem em reacções nos órgãos e sistemas do corpo. Além disso, seis canais de energia passam pelo pavilhão auricular, portanto, o estímulo destes canais é reflectido nos órgãos e sistemas a que se relacionam.

Originou-se na China. Em antigos livros do período Han (206 a.C. - 220 d.C.) há referência da comunicação do pavilhão auricular com outras partes do corpo. Muitos outros tratados médicos chineses citam a auriculoterapia. Em 1958 os estudos realizados pelo médico francês P. Nogier apresentam o mapa da orelha com um feto posicionado de cabeça para baixo. Esse acontecimento serviu de impulso para estudos profundos da auriculoterapia.


É uma técnica com características importantes, sendo muitas vezes a técnica de primeira escolha dos pacientes.

UMA DAS MAIS PROCURADAS É A QUE NAO SE UTILIZA AGULHAS

O paciente realiza o tratamento ao longo da semana em casa pressionando cada um dos pontos.
Podemos tratar diversas enfermidades somente pela orelha chegando a obter a cura completa. Não tem risco de infecção e o resultado é superior à técnica com agulhas na orelha.

Para que o tratamento seja bem realizado, primeiro é feita uma avaliação minuciosa segundo todos os critérios da Medicina Tradicional Chinesa. De acordo com esta, não existem doenças idiopáticas(sem causa); através de uma boa avaliação chegamos a causa de todas as enfermidades, por esse fato muitas vezes atingimos a cura.

A avaliação inclui análise de todo o estilo de vida, emoção, sede, suor, fome, sono, micção, defecação, função ginecológica, pulso e língua. Depois desta avaliação estipulamos o tratamento, SOMENTE PELA ORELHA, com excelentes resultados ao longo de todos esses anos.

texto parcialmente retirado do site: http://marlenefisioquantic.blogspot.com